A batalha de Rosário!

Published On 21/10/2014 | Copa Conmebol, Histórias, Jogos Históricos
Por Gabriel Santana, 
Santos, 21/10/2014
Atualizado, 06/04/2016

 Um jogo memorável, uma verdadeira batalha. No dia 21 de outubro de 1998, o Santos enfrentou o Rosário Central-ARG na grande final da Copa Conmebol.
Sob tiros da polícia argentina, o Alvinegro entrou em campo no Estádio Gigante del Arroyito, com uma superlotação. Com a capacidade oficial para 50.351 lugares, a equipe argentina havia prometido vender apenas 45 mil ingressos, para evitar maiores confusões. Pouco antes do início da partida, 5 mil argentinos simplesmente conseguiram invadir o estádio, driblando os seguranças e sem ao menos terem ingressos.
Além dos tiros e da superlotação que o estádio não comportava, o estado do gramado era lastimável, com muitos rolos de papel higiênico atirados nas duas áreas e nas laterais do campo. Ovos também eram atirados em direção aos jogadores do Santos e da polícia argentina.
A empolgação e fúria da torcida do Rosário era tão grande, que os policias tiveram que dar 12 tiros para o alto, para os conter um pouco.
O então treinador santista, Emerson Leão, fez questão de afirmar que isso era mais uma vergonha para o futebol argentino.
A partida começou após 40 minutos de atraso, devido ao temor que os santistas sentiam. Temiam por sua segurança, após quase serem agredidos pelos torcedores, se já não bastasse toda essa balbúrdia em torno e dentro do estádio.
“Meus jogadores não tinham condições psicológicas para entrar em campo. Não tinham condição nenhuma, nenhuma. São jovens, todos com 20 e poucos anos. Só entramos mesmo porque, se não tivéssemos entrado, poderíamos ter morrido”. Declaração dada pelo treinador Alvinegro.
Além de tudo isso, o Santos tinha apenas 16 jogadores em condições de jogo na grande final, sendo três deles goleiros. Dos 25 jogadores inscritos na competição, quatro foram negociados durante a competição (Baez, Fumagalli, Dutra e Ronaldo Marconato), três estavam contundidos (Argel, Jorginho e Lúcio) e dois estavam suspensos (Jean e Viola). Assim sendo, o Santos foi a campo com os 11 jogadores titulares e apenas 5 suplentes.
Mesmo com todos esses problemas, descaraterizando a partida de futebol, logo no início do jogo o Santos foi para cima! Valentes, os jogadores santistas dominaram o meio-de-campo com uma marcação adiantada e criaram boas chances de gol. Já no segundo tempo, mesmo com o Alvinegro um pouco mais recuado, a precisão de fazer um gol deixou os argentinos alterados e nervosos. Tentaram arranjar um pênalti a qualquer custo, com diversas confusões dentro da área. Empurrões e discussões fizeram o árbitro parar com certa constância o jogo. Ficou assim até o apito final, quando finalmente, com muita valentia e garra, o Santos conquistou o título da Copa Conmebol!
Terminada a partida, os santistas pouco puderam comemorar, devido a ameaça dos torcedores argentinos em invadirem o campo.
Ficha Técnica:
21/10/1998 – Rosário Central-ARG 0 x 0 Santos
Local: Estádio Gigante Arroytio, em Rosário, Argentina.
Público: 43.000 aproximadamente
Cartões Amarelos: Marra, Cappelletti, Cuberas e Flores; Sandro, Claudiomiro, Athirson, Bazillio e Narciso
Cartões Vermelhos: Daniele e Eduardo Marques
Árbitro: Ubaldo Aquino (Paraguai)
Rosário Central: Buljubasich; Marra (Cappelletti), Gerbaudo, Cuberas e Jara; Hugo González (Ezequiel González) Daniele, Rivarola e Gaintán; Flores e Maceraeis (Ruiz). Técnico: Edgardo Bauza
Santos: Zetti; Anderson, Sandro, Claudiomiro e Athirson; Marcos Bazilio, Elder. Narciso e Eduardo Marques; Fernandes (Baiano) e Alessandro (Adiel). Técnico: Emerson Leão
Fonte e Referências:
Jornal “O Estado de São Paulo”;
Jornal “Folha de São Paulo”;
Jornal “A Tribuna”, de Santos;

2 Responses to A batalha de Rosário!

  1. Roberto Dias Alvares says:

    Santos, grande clube nacional, conquistou a Copa Conmebol. Venceu o Rosário Central, mostrou garra e bom futebol.

    O Santos, da Copa Conmebol campeão: Zetti, Anderson, Argel, Basílio e Claudiomiro, Athirson, Eduardo Marques, Marcos Assunção. Lucio, Adiel e Viola no ataque de Vila Belmiro.

    Após vencer em solo brasileiro, na Argentina reinou o terror. Mas o Santos soube ser catimbeiro. Conseguiu o empate com raça e suor.

    Um a zero foi à vitória no País. Conquistada na Vila Belmiro. Deixando a torcida toda feliz, Escanteio e cabeçada de Claudiomiro.

  2. Flp1984 says:

    Argentinos sendo argentinos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *