A fisgada na hora certa

Por Gabriel Santana
Santos, 20/03/2015
Atualizado, 23/04/2016

Pouco mais de 20 minutos. Esse era o tempo que o Santos tinha para virar o placar de 2×0, e se classificar para a final do Campeonato Paulista de 2000.
O Palmeiras vencia com gols de Argel e Euller. Com muita confiança, o time da capital assegurava o resultado, cadenciando o jogo, já com o pensamento na final, dando a entender, que o Peixe já estava morto.
Aos 7 minutos do segundo tempo, ao marcar o segundo gol do Palmeiras, o atacante Euller comemorou provocando o time da Vila Belmiro, fazendo gestos de pescas, como se estivesse fisgando um peixe.
Aproveitando os espaços e a confiança demasiada do time verde, o Santos reagiu na hora certa. O Técnico Giba fez três alterações, e o time melhorou, ficando mais veloz e determinado.
Eduardo Marques aos 24 minutos, Anderson Luiz aos 33 minutos e Dodô aos 45 minutos, fizeram o impossível, o que praticamente ninguém acreditava, viraram o jogo para o Santos, e decretaram a vaga santista na final do Campeonato Paulista de 2000.
E o que será que o atacante Euller fez com a sua vara de pescar?

• Trechos do Jornal Folha de São Paulo:
“De forma dramática, o Santos derrotou o Palmeiras por 3 a 2, de virada, e vai disputar a decisão do paulista. Ontem, o gol da vitória, marcado por Dodô, aconteceu aos 45min do segundo tempo. Até 21min antes do fim da partida, o Palmeiras, que jogava por um empate, vencia por 2 a 0.”
“Os jogadores do Santos criticaram a comemoração do atacante Euller, que ao marcar o segundo gol, fingiu fisgar um peixe com uma vara, em alusão ao símbolo do time rival. ‘Ele mexeu com quem estava quieto’, reclamou Claudiomiro.”
• Ficha Técnica:
04/06/2000 – Santos 3 x 2 Palmeiras
Gols: Argel aos 32min do primeiro tempo; Euller aos 8min, Eduardo Marques aos 24min, Anderson Luis aos 33min e Dodô aos 45min do segundo tempo.
Local: Estádio do Morumbi
Competição: Campeonato Paulista, Semifinal.
Árbitros: Paulo Cesar de Oliveira e Ilson Honorato dos Santos
Cartões amarelos: Argel e Asprilla; Anderson, Caio e Claudiomiro
Palmeiras: Marcos; Neném, Argel, Roque Júnior e Júnior; Rogério (Taddei), Galeano, Fernando e Pena; Euller (Tiago) e Asprilla (Marcelo Ramos). Técnico: Luiz Felipe Scolari
Santos: Fábio Costa; Baiano (Eduardo Marques), André Luis, Claudiomiro e Rubens Cardoso; Preto, Anderson Luis, Robert e Valdo; Valdir (Dodô) e Caio (Deivid). Técnico: Giba

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *