A terceira geração de Meninos da Vila (2010/12)


Quando a geração de Meninos da Vila de 2002 a 2004, que dominou o futebol brasileiro, se encerrou, o Santos entrou num período sem muito brilhantismo, embora tenha conquistado novos títulos e até conseguindo boas campanhas nacionais e internacionais. No entanto, entre 2008/09 o clube passou por momentos difíceis, com campanhas ruins, principalmente no Brasileiro, e teve que se reformular.
A mudança no clube não ocorreu só dentro de campo, primeiro aconteceu fora dele. Em novembro de 2009, Luís Álvaro Ribeiro, o Laor, foi eleito presidente do clube, encerrando a gestão de Marcelo Teixeira que já durava 10 anos. A primeira grande intervenção do novo mandatário santista, foi trazer o ídolo e eterno menino da vila Robinho em 2010, por empréstimo do Manchester City/ING. Além dele, chegaram outras peças fundamentais naquele time, casos dos zagueiros Edu Dracena e Durval, o volante Arouca, o meia Marquinhos e os pontas Wesley, Mádson, Zé Eduardo entre outros, para se juntarem aos jovens Felipe, Paulo Henrique Ganso, André e Neymar. O comando técnico também mudou, o técnico Dorival Júnior (campeão brasileiro da série B com o Vasco) foi o encarregado, de montar o Esquadrão que encantaria o futebol brasileiro naquele ano. Formando assim, a nova geração de Meninos da Vila.
santos-2010O Santos começou a reger sua orquestra e bailar seu imponente futebol ofensivo, empolgante e irreverente no Campeonato Paulista daquele ano, em paralelo o clube também teve compromissos pela Copa do Brasil. Em ambas as competições o time santista mostrou um futebol magico, que durante ambas as competições deu espetáculos, com um futebol alegre e vistoso, com dancinhas e muita molecagem. Os garotos abusados de Vila Belmiro não apenas venciam, davam Show! O peixe teve como marca registrada as coreografias (nas comemorações de gols) e as goleadas, e essas ocorreram aos montes naquele ano de 2010.
COPA DO BRASIL/SANTOS X GUARANI
O Santos foi a sensação do futebol brasileiro e, conquistou as duas competições no primeiro semestre. No Campeonato Paulista com uma grande campanha (23 jogos, 18 vitorias, 2 empates e duas derrotas, marcando incríveis 72 gols!), vencendo na fase final o São Paulo e o Santos André.
050812-final-copa-br-ricardo-saibunNa Copa do Brasil o SFC conquistou com ímpeto e dominação, mostrando e esbanjando um futebol ofensivo, rápido, irreverente, de muitos gols e, resgatando o futebol arte. Com 39 gols em 11 jogos, sendo o campeão com maior número de gols em uma edição na História do torneio. Teve, ainda, a maior goleada da competição de 2010 (10 a 0 no Naviraiense, do Mato Grosso do Sul) e o artilheiro (Neymar, com 11 gols). Para levar o caneco à Baixada Santista, o Peixe triunfou perante a grandes adversários, principalmente a partir das quartas de final, fase em que passou pelo Atlético-MG, com derrota por 3 a 2 no Mineirão e vitória por 3 a 1 no Urbano Caldeira. Nas semifinais, mais duas partidas memoráveis, dessa vez contra o copeiro Grêmio: revés por 4 a 3 em Porto Alegre e triunfo por 3 a 1 na Vila, com direito a três golaços, de Ganso, Robinho e Wesley. Na decisão, o Vitória Campeão Baiano, que não foi páreo para uma equipe insinuante e entrosada. Na partida de ida, na Vila Belmiro/SP, o Santos venceu por 2 a 0 com gols de Neymar e Marquinhos. Na partida de volta, no Barradão/BA, tomado pela massa rubro-negra baiana, o clima hostil, o péssimo gramado e a pesada chuva não conseguiram tirar o título do Santos.
neymar-8-rib-1950Para o ano de 2011 as metas santistas eram ousadas, e uma grande expectativa foi criado no retorno do clube a Copa Libertadores da América. O Santos FC dos garotos Rafael, Danilo, P.H. Ganso e Neymar, e dos experientes Léo, Edu Dracena, Arouca e Zé Eduardo, mesclava juventude e experiência para encarar uma verdadeira maratona de jogos naquele ano, no mesmo período, o clube disputou partidas decisivas no Campeonato Paulista e na Copa Libertadores da América. O treinador escolhido Adilson Batista é demitido na primeira fase da competição continental, o auxiliar Marcelo Martelotte assume interinamente. Bem no Paulistão e em situação desconfortável na Libertadores, o Santos anuncia a contratação de Muricy Ramalho, que havia dispensado o Fluminense. O futebol de resultados do novo treinador, é implementado com sucesso, o Santos conquista o Campeonato Paulista com uma campanha irretocável (23 Jogos, 14 Vitórias, 6 Empates e 3 Derrotas) vencendo as finais contra São Paulo e Corinthians.
Na Copa Libertadores da América, depois de uma classificação complicada na primeira fase do grupo 5 (o SFC enfrentou Deportivo Táchira, Colo-Colo e Cerro Porteño), o Peixe aflora um futebol eficiente e aguerrido, na fase final da competição (vencendo na segunda fase: América/Méx, Once Caldas, Cerro Porteño e Peñarol), com grandes apresentações principalmente da dupla Neymar e Ganso, mais com essencial participação de todo o grupo, conquistando o tão sonhado tricampeonato da América (1962, 63 e 2011) e, consagrando mais uma geração de Meninos da Vila.
liberta11

santos-campec3a3o-paulista-2012Com a derrota no Mundial de 2011 diante do poderoso Barcelona, o SFC teve de se reciclar para 2012, com a manutenção do elenco e a permanência de Muricy e principalmente Neymar (que passou a ter cada vez mais o apoio de inúmeros parceiros publicitários), a equipe era a favorita ao título estadual. E não deu outra, nem o Corinthians (Campeão Brasileiro do ano anterior), nem o São Paulo que foi novamente eliminado pelo SFC, muito menos o Palmeiras, o Santos conquistou pela terceira vez em sua história, o Tricampeonato Paulista (2010/2011 e 2012), com uma campanha espetacular de 23 jogos, 16 vitórias, 3 empates e apenas 4 derrotas. No segundo semestre de 2012, o Santos levantou mais uma taça: a Recopa Sul-Americana, vencida após um empate em 0 a 0 e uma vitória por 2 a 0 (gols de Neymar e Bruno Rodrigo) sobre a Universidad de Chile. Encerrando assim, a última grande geração de meninos até o momento – pois esse DNA santista de revelar é interminável.
santos_campeao_recopa2_JF_Diorio26092012_630

Em 2015, os Meninos da Vila: Gabriel, Geuvânio, Alison, Lucas Otávio, Gustavo Henrique, Paulo Ricardo, Zeca, entre outros, ajudaram o Santos FC a conquistar mais um Campeonato Paulista, tornando-se o maior Campeão Paulista do profissionalismo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *