A virada impossível!

Published On 10/12/2014 | Histórias, Jogos Históricos
Por Gabriel Santana
Santos, 10/12/2014
Atualizado, 10/12/2015
Dia 10 de dezembro de 1995, Estádio Pacaembu, em São Paulo, segundo jogo das Semifinais do Campeonato Brasileiro de 1995. Santos e Fluminense se enfrentaram em um jogo que será para sempre lembrado na memória do torcedor santista.
A 1º partida havia sido 4×1 para o Fluminense, no Maracanã, e o Santos precisava reverter o placar para chegar a decisão.
PRIMEIRO TEMPO
O jogo então começa e o Santos vai pra cima do Fluminense. O meia Carlinhos, no inicio do jogo, dá o cartão de visitas com um chute forte e perigoso mais Wellerson faz boa defesa. O Fluminense reage e perde uma ótima chance com Renato Gaúcho, que Marcos Adriano tira e salva o goleiro Edinho. O Santos toma total controle do jogo, aos 25 minutos, Camanducaia fez boa jogada pela esquerda e foi derrubado. É pênalti para o Santos! Giovanni pega a bola, olha fixamente para o gol, bate no cantinho do goleiro Wellerson e abre o placar. Santos 1 a 0. Giovanni então vai e pega a bola dentro do gol e a leva até o meio do campo para recomeçar a partida.
O camisa 10 do Santos, sentia o momento, tomou pra si a responsabilidade, incorporou Pelé, e aos 29 minutos, em jogada excepcional, driblou Homérico e antes de Alê, chutou de bico, preciso e forte por cima, para marcar o segundo gol do Santos, 2 a 0. E que gol fez Giovanni! Que Golaço! Messias tomava a prova sua profecia no fim do jogo no Maracanã. O Pacaembu explodiu nesse momento, a torcida do Santos enlouquecia a olhar aquele camisa 10 novamente pegar a bola dentro do gol adversário e levar pra recomeçar novamente o jogo.
O Fluminense então teve outra boa chance, mais defendida pelo goleiro Edinho. Do lado do Santos, Macedo apareceu livre no ataque e chutou a bola na trave! O Santos tentava mais um gol ainda no primeiro tempo, teve outras duas boas chances, mais nada de gols, terminava o primeiro tempo, Santos 2, Fluminense 0.
PERMANÊNCIA EM CAMPO NO INTERVALO
No intervalo de jogo, os jogadores do Fluminense foram para o vestiário. Já os do Santos quebravam o protocolo, permaneceram no gramado. Foi a maior simbiose entre time e torcida escrita na história do estádio do Pacaembu, os jogadores concentrados no meio do campo, sentindo o apoio da torcida santista que cantava sem cessar seu amor pelo Santos.
SEGUNDO TEMPO
O segundo tempo de jogo então recomeça e o Santos após sentir durante o intervalo a energia da torcida, volta a todo vapor, mantendo o ritmo e sufocando o time carioca. Com apenas cinco minutos de jogo, Giovanni acha Macedo na entrada da grande área, O camisa 7 estava endiabrado e consegue boa jogada, chuta e faz o terceiro gol para delírio da torcida que nesse momento já não mais aguentava de tanta emoção. O impossível era realidade, o Santos estava a caminho para a decisão do Campeonato. Mais com dois minutos depois, falta na entrada da área para o Fluminense, no bate e rebate, a bola sobra para chute na trave e no rebote Rogerinho desconta de cabeça. Agora Santos 3, Fluminense 1.

Giovanni foi o grande nome do jogo!

Novamente o Santos se recompõe após o gol sofrido, em mais um lance de Giovanni que sai em disparada na disputa com Alê, consegue a jogada e invade área e chuta no bate e rebate a bola passa pelo goleiro Wellerson. Na sobra Camanducaia marca para o Santos, 4 a 1! A festa é retomada com total ênfase no Pacaembu, pela torcida santista. Que jogo era esse? O Santos repetia o que havia sofrido no Maracanã. O Santos com esse resultado estava classificado para a grande decisão. Tudo parecia bem, até Ronaldo Marconato ser expulso. Era a chance para o Fluminense reagir? Mais não, o Santos era todo adrenalina de seus jogadores extremamente focados. Aos 37 minutos do segundo tempo, o ápice! Giovanni, cercado por três jogadores do Fluminense, toca de calcanhar deixando Marcelo Passos de frente para o gol, Marcelo corta para o lado direito tirando do zagueiro, bate forte… Gol! O quinto gol do Santos! Que goleada! Que jogo! Que time! A torcida entrava em delírio total, estase, fervor, alegria! Era o Santos na decisão do Campeonato Brasileiro de 1995… Que jogo protagonizava aqueles jogadores vestidos de branco, aquele camisa 10, não era o time de Pelé, esse era o time de Giovanni! O Messias! O Fluminense ainda marcaria um gol com Rogerinho, mais já não havia mais tempo, Santos 5 a 2, Santos na decisão do Campeonato Brasileiro contra o Botafogo que eliminou o Cruzeiro na outra Semifinal.




SAIBA MAIS >
Jogos e Fichas Técnicas;
O melhor time do Brasil;
FICHA TÉCNICA
10/12/1995 – Santos 5 x 2 Fluminense
Gols: Giovanni aos 25min e aos 29min do primeiro tempo; Macedo aos 5min, Rogerinho aos 7min, Camanducaia aos 16min, Marcelo Passos aos 38min e Rogerinho aos 40min do segundo tempo.
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.
Público: 28.090 pagantes
Renda: R$ 336.289,00
Árbitro: Sidrack Marinho
Cartões Amarelos: Marcos Adriano e Carlinhos; Ronald e Aílton
Cartão Vermelho: Ronaldo Marconato
Santos: Edinho; Marquinhos Capixaba, Narciso, Ronaldo Marconato e Marcos Adriano; Carlinhos, Gallo, Giovanni e Marcelo Passos (Pintado); Camanducaia (Batista) e Macedo (Marcos Paulo). Técnico: Cabralzinho
Fluminense: Wellerson; Ronald, Lima, Alê (Gaúcho) e Cássio; Vampeta, Otacílio, Aílton e Rogerinho; Renato Gaúcho e Valdeir (Leonardo). Técnico: Joel Santana
Fontes e Referências:
Jornal “A Tribuna”
Almanaque do Santos, de Guilherme Nascimento;

One Response to A virada impossível!

  1. josé augusto says:

    Naquele tempo sim , os jogadores tinha amor a camisa, jogavam com garra… E foi uns dos primeiros jogos do peixe que tenho na minha memoria..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *