Almir Pernambuquinho – 1963-1965

Published On 16/10/2015 | Ex-Atletas
Nome completo – Almir Morais de Albuquerque
Período – 1963-1965
Posição – Meio-campista
Nascimento – 28 de outubro de 1937, em Recife, Pernambuco.
Jogos – 39
Gols – 04
Histórico – Iniciou sua carreira no Sport, em 1956. Passou por Vasco (1957-1960), Corinthians (1960-1961), Boca Juniors/ARG (1961-1962), Fiorentina/ITA (1962) e Genova/ITA (1962-1963), antes de chegar a Vila Belmiro, em 1963, aos 25 anos.
Almir era um craque, e ao mesmo tempo um jogador explosivo, com rédeas curtas. Quando chegou ao Santos, foi chamado até de “Pelé Branco”, pela sua grande habilidade em campo.
No Santos, o “Divino Delinquente”, como diria o escritor Nelson Rodrigues, teve rápida passagem, porém, o suficiente para se tornar inesquecível. O polêmico jogador cravou seu nome na história do Alvinegro ao substituir Pelé nas finais do Mundial de Clubes de 1963. Foi um dos principais jogadores da ultima partida diante do Milan, com vitória santista por 1×0.
Com a camisa santista, conquistou ainda o Bicampeonato Brasileiro de 1963-1964, a Taça Libertadores de 1963 e o Campeonato Paulista de 1964.
Em 1965 retornou ao Rio de Janeiro, para defender o Flamengo e posteriormente o América-RJ, onde encerrou a carreira, em 1968.
Almir faleceu aos 36 anos, em 1973, em uma discussão em um bar na orla do Rio de Janeiro, após defender um grupo musical homossexual.
ESTREIA
28/07/1963 – Santos 5 x 2 Jabaquara
Gols: Toninho aos 35min do primeiro tempo; Cabrita aos 6min e aos 29min, Pelé aos 12min, Toninho aos 30min e aos 44min e Batista aos 41min do segundo tempo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Campeonato Paulista
Renda: Cr$ 1.691.700,00
Árbitro: Romualdo Arpi Filho
Santos: Gylmar; Mauro e Geraldino; Dalmo, Lima e Olavo; Batista, Almir, Toninho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Jabaquara: Dudízio; Ivan, Del Pozo e Macedo; Rubens Sales e Carlão; Chilhinho, Buzone, Cabrita, Neiva e Alcides. Técnico: Carlito Roberto
PRIMEIRO GOL
14/11/1963 – Santos 4 x 2 Milan-ITA
Gols: Mazzola aos 12min e Mora aos 17min do primeiro tempo; Pepe (f) aos 5min e aos 22min, Almir aos 9min e Lima aos 18min do segundo tempo.
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.
Competição: Mundial Interclubes de 1963
Público: 132.728 pagantes (150.000 pessoas)
Renda: Cr$ 98.075.500,00
Árbitro: Juan Brozzi (Argentina)
Santos: Gilmar; Ismael, Mauro, Haroldo e Dalmo; Lima e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Almir e Pepe. Técnico: Lula
Milan: Ghezzi; Davi, Maldini e Trebi; Trapattoni e Pelagalli; Mora, Lodetti, Rivera, Mazzola e Amarildo.Técnico: Luis Carniglia
ULTIMA PARTIDA
27/03/1965 – São Paulo 3 x 1 Santos
Gols: Gilberto; Del Vecchio, Ladeira e Paraná.
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.
Competição: Torneio Rio-São Paulo
Público: 11.077 pagantes
Renda: Cr$ 7.820.400,00
Árbitro: Olten Aires de Abreu
Santos: Silas; Quito (Turcão), Modesto e Cido; Haroldo e Eliseu; Peixinho, Rossi (Ademir), Almir (Gilberto), Gonçalo e Noriva. Técnico: Antoninho
São Paulo: Suli, De Sordi, Bellini e Renato; Roberto Dias e Adenir; Faustino, Ladeira (Rodarte), Del Vecchio, Valter e Paraná. Técnico: José Poy.
• Jogos e gols marcados:
1963 – 07 jogos e 01 gol
1964 – 29 jogos e 03 gols
1965 – 03 jogos
Total – 39 jogos e 04 gols no período 1963-1965.
Fontes e Biografias:
Almanaque do Santos, de Guilherme Nascimento;
Santos, 100 anos, 100 jogos e 100 ídolos, de Odir Cunha;
Jornal “Folha de São Paulo”;

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *