Cejas – 1970-1975

Published On 14/08/2015 | Ex-Atletas, Ídolos
Por Gabriel Santana
Santos, 14/08/2015
Atualizado, 30/12/2015

Agustín Cejas começou sua a carreira no Racing-ARG no final dos anos 50, e se profissionalizou em 1962. Defendeu o time de Avellaneda até 1970, antes de embarcar para o Brasil.
Logo após a aposentadoria de Gylmar e Laércio, e a contusão de Cláudio, o Alvinegro da Vila foi até a Argentina para contratar um substituto a altura, o goleiro Cejas!
Corajoso e impetuoso, tinha boa colocação dentro da pequena área e era comum vê-lo saindo com arrojo para interceptar bolas aéreas vindas em sua direção, às vezes socando a bola ou cortando os cruzamentos adversários.
Nascido em 22 de março de 1945, chegou na Vila Belmiro com 25 anos de idade, e foi decisivo no Título Paulista de 1973. Como era um exímio defensor de pênaltis, defendeu duas cobranças diante da Portuguesa, na grande final.
Ainda em 1973, Cejas ganhou a Bola de Ouro da Revista Placar por ter sido escolhido como o melhor goleiro daquele ano.
Despediu-se do Santos em 1974, e ainda atuou pelo Grêmio, Racing novamente e River Plate-ARG.
Agustín Cejas foi um dos melhores goleiros da história do Santos!
Foi morar ao lado de Deus no dia 14 de agosto de 2015, aos 70 anos.

Jogos – 253
Títulos pelo Santos:
1973 – Campeonato Paulista
Números – Por Guilherme Nascimento
1970 – 21 jogos
1971 – 68 jogos, 1 defesa de pênalti
1972 – 57 jogos, 1 defesa de pênalti
1973 – 56 jogos, 3 defesas de pênalti, 1 expulsão – 1 jogo não oficial
1974 – 52 jogos, 2 defesas de pênalti, 1 expulsão
Total: 253 jogos, 7 defesas de pênalti, 2 expulsões – 1 jogo não oficial

Fichas Técnicas:
27/09/1970 – Cruzeiro 1 x 1 Santos
Gols: Nenê; Tostão
Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte, Minas Gerais.
Competição: Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Campeonato Brasileiro)
Árbitro: José Aldo Pereira
Renda: 218.155,00
Público: 50.513 pagantes
Cruzeiro: Raul; Pedro Paulo, Brito, Piazza e Vanderlei; Zé Carlos e Dirceu Lopes; Natal, Evaldo (Eduardo), Tostão e Hílton Oliveira (Rodrigues).Técnico: Filpo Nuñez
Santos: Cejas; Carlos Alberto, Ramos Delgado, Djalma Dias e Turcão; Clodoaldo e Lima; Manoel Maria, Douglas (Picolé), Nenê e Abel (Léo Oliveira). Técnico: Antoninho
– Estreia de Cejas com a camisa do Santos
11/07/1972 – América-MEX 2 x 4 Santos
Gols: Pelé [2], Alcindo e Léo Oliveira; Reynoso [2].
Local: Memorial Colyseum, em Los Angeles, Estados Unidos.
Competição: Amistoso (Troféu Independência)
Público: 21.103 pagantes
Árbitro: Eugene Bencze
América: Palácios (Cortez); Trujillo, Zamora, Hernandez e Santilon; Hodge e Perez; Herrera, Reynoso, Borjas e Borbolla.
Santos: Cejas (Cláudio); Orlando, Vicente, Paulo e Zé Carlos (Turcão); Léo Oliveira e Nenê Belarmino; Jader (Afonsinho), Alcindo (Adílson), Pelé e Edu. Técnico: Jair Rosa Pinto
– Cejas ajudou o Santos a conquistar o título honorífico da “Fita Azul” de 1972, ao ficar 17 partidas internacionais invictas.
26/08/1973 – Portuguesa 0 x 0 Santos
Local: Estádio Morumbi, em São Paulo
Público: 116.156 pagantes
Renda: Cr$ 1.502.555,00
Árbitro: Armando Marques
Portuguesa: Zecão; Cardoso, Pescuma, Calegari e Isidoro; Badeco e Basílio; Xará, Enéas (Tatá), Cabinho e Wilsinho. Técnico: Oto Glória
Santos: Cejas; Zé Carlos, Carlos Alberto, Vicente e Turcão; Clodoaldo e Léo Oliveira; Jair da Costa (Brecha), Euzébio, Pelé e Edu. Técnico: Pepe
– Cejas defendeu duas penalidades na grande final, e logo após, o árbitro Armando Marques ocasionou uma grande confusão, e deu o título para as duas equipes.
02/10/1974 – Santos 2 x 0 Ponte Preta
Gols: Cláudio Adão aos 30min do primeiro tempo; Geraldo (c) aos 11min do segundo tempo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Campeonato Paulista de 1974/1º Turno
Renda: Cr$ 219.371,00
Público: 20.258 pagantes
Árbitro: Emídio Marquez Mesquita.
Santos: Cejas; Wilson, Vicente, Bianchi e Zé Carlos; Léo e Brecha; Cláudio Adão, Da Silva, Pelé (Gílson) e Edu. Técnico: Tim
Ponte Preta: Carlos; Geraldo, Oscar, Zé Luiz e Walter; Serelepe e Serginho; Adílson, Waldomiro, Waltinho (Brasília) e Tuta.
– No último jogo oficial de Pelé, o grande goleiro Cejas teve a honra de estar na meta santista.
08/12/1974 – Santos 1 x 0 Portuguesa
Gol: Edu aos 44min do segundo tempo.
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.
Competição: Campeonato Paulista
Público: 8.244 pagantes
Renda: Cr$ 74.925,00
Árbitro: José de Assis Aragão
Santos: Cejas; Zé Carlos, Vicente, Bianchi (Paulo) e Turcão (Mifflin); Nelsi e Léo Oliveira; Mazinho, Claudio Adão, Adílson e Edu. Técnico: Tim
Portuguesa: Zecão; Cardoso, Mendes, Calegari e Santos; Badeco e Mazinho (Dicá); Antonio Carlos (Xaxá), Tatá, Adilson e Luisinho. Técnico: Oto Glória
– Ultima partida de Cejas pelo Glorioso
Fontes e Referências:
Centro de Memória e Estatística do Santos;
Almanaque do Santos;
Livro “100 anos, 100 jogos e 100 ídolos”;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *