Contribuições ao desenvolvimento do futebol brasileiro (1916-20)

Published On 18/09/2015 | Feitos Históricos, Histórias, Seleção Brasileira
Por Kadw Gommes
Santos, 18/09/2015 

Já pela primeira década de existência do Santos FC (1912-1920), seria traçada a importância do clube através de contribuições para o desenvolvimento do futebol brasileiro. Nessa época ao qual antecede o profissionalismo (1933), o futebol nacional não tinha status de uma superpotência mundial, estando atrás de países como Argentina e Uruguai à nível continente. Corrobore, que assim como o Santos FC (fundado em 1912), a seleção brasileira também almejava espaço num contexto histórico. Para se chegar a um patamar relevante, principalmente nesse momento inicial da história – primeira década de competições oficiais –, a CBD necessitava-se de uma maior mobilização por parte de clubes e jogadores. Sendo um processo demorado, decisivo para o futuro e importante.
Hodiernamente respeitado e admirado, o futebol brasileiro se estabeleceu como o mais vencedor, mediante conquistas de cinco Copas do Mundo (1958, 1962, 1970 e 2002), e tem pelo transcorrer da história craques lendários, como Pelé e Garrincha. Mas, por um período introdutivo, ao qual a seleção brasileira disputou as primeiras competições oficiais importantes, enfrentou dificuldades. Somente no ano de 1919, que o Brasil contando com o trio santista Arnaldo Silveira (capitão), Haroldo Dominguez e Adolpho Millon, escreveria o primeiro grande capitulo de sua história, conquistando o torneio Sul-Americano – atual Copa América – daquele ano. Nessa primordial conquista, o Santos foi o time com mais selecionados. E na continuidade ajudou na estabilização do futebol nacional.
Millon-Haroldo-e-Arnaldo-campeões-de-1919 (2)

170520092119551239921835Entre 1916 a 1920, mesmo com o bairrismo carioca que já existia, o Santos FC foi o clube paulista com mais convocações na primeira década de competições oficiais, com um total de nove atletas selecionados. Nesse ínterim, foram disputadas as Copas Américas de 1916, 1917, 1919 e 1920.
Nesse tempo abordado, o alvinegro da Vila, pode se considerar não apenas uma base da seleção brasileira, mais também, um dos clubes com o ataque mais valorizado do país – se não o mais. O que tornava seus jogadores bastante representativos a cargo do selecionado, colocando em prova o tradicional DNA ofensivo. Para melhor fundamentar, das nove convocações de jogadores do Santos FC, em Sulamericanos no período, estes, eram todos atacantes.
Segue abaixo, a lista de selecionados do clube integrados a seleção brasileira, na primeira década de competições oficiais:
– Arnaldo Silveira: (1916 / 1917 e 1919*);
– Adolpho Millon: (1917 e 1919*);
– Haroldo Dominguez: (1917 e 1919*);
– Constantino: (1920);
– Castelhano: (1920);
– OBS: Em 1917 o goleiro Otto Banduck foi escrito como jogador do Santos no Sul-Americano. Mas, o clube não o considera, embora tenha feito um jogo amistoso no mesmo período, se levado em conta, seriam 10 jogadores Santistas em Sul-Americanos nesse período, onde mais a Seleção Brasileira necessitou para seu fortalecimento e continuidade no esporte.
– Os outros clubes paulistas que obtiveram pelo menos três convocações de atletas no período (1916 a 1920): Corinthians (5), Palmeiras (5), Paulistano (5), São Bento (3) e Mackenzie SP (3).

A base da primeira Conquista Continental do país! O clube com mais selecionados no torneio Sul-Americano – atual Copa América – de 1919.

12038527_865481096868392_2462777209345468535_n
Assim como em toda primeira década de competições oficiais, o Santos FC contribuiu com o máximo de selecionados (três jogadores convocados: Arnaldo Silveira, Adolpho Millon e Haroldo Dominguez), na primeira Conquista Continental do país, o Sul-Americano (Copa América) de 1919, disputado no Rio de Janeiro. Já naquele momento, o clube dava mostras de ser um reduto de craques.
Dos três atletas que cedeu, dois jogadores eram titulares, um deles Adolpho Millon e o outro Arnaldo Silveira, este capitão do selecionado na competição. Foi também, o primeiro santista a vestir as roupas brasileiras, um capitão tão histórico, assim como outros que o SFC tradicionalmente colocou a serviço do Brasil (como: Mauro, Carlos Alberto Torres, Marinho Peres…), que para Friedenreich, Arnaldo Silveira entraria para a Seleção Brasileira de todos os tempos.

REFERENCIAS/FONTES:
Almanaque do Santos FC (Guilherme Nascimento);
Arquivo da Seleção Brasileira Principal – RSSSF Brasil;

One Response to Contribuições ao desenvolvimento do futebol brasileiro (1916-20)

  1. Pingback: Acervo Histórico do Santos FC | Feitos Históricos – 1912-1954

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *