Desempenhos Defensivos na Libertadores

Published On 21/11/2017 | Estatísticas
Por Kadw Gomes
Santos, 21/11/2017

Ao longo de suas participações na Copa Libertadores, mostrando recomposições solidas, o Santos sofreu pouco mais de um gol por jogo (1,16). Sendo vazado 142 vezes nos 122 jogos que fez até 2017.
Analisamos historicamente as menores médias de gols sofridos e as equipes santistas que melhor alcançaram marcas. Assim como as vezes em que houve efeito para título ou campanha exitosa:

MÉDIA DE GOLS SOFRIDOS – COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA
ANO    P    J    V    E    D   GP  GC  MGM   MGS    AP%
2007   3º   14   11   2    1   28   90   2,00   0,64   83,33%

2017   6º   10   50   4    1   16   80   1,60   0,80   63,33%
2008   7º   10   6  1    3   18   80   1,80   0,80   63,33%
2012   3º   12   60   2    4   23   10   1,92   0,83   55,55%
2011   1º   14   70   6    1   20   13   1,43   0,92   64,29%
1963   1º   40   30   1    0   10   40   2,50   1,00   87,5%
2004   5º   10   60   2    2   21   12   2,10   1,20   66,66%
1962   1º   90   60   2    1   29   11   3,22   1,22   77,77%
2003   2º   14   70   5    2   30   19   2,14   1,35   61,90%

2005   5º   10   50   0    5   24   17   2,40   1,70   50%

Legendas: Ano; P – posição; J – jogos; V – vitórias; E – empates; D – derrotas; GM – gols marcados; GS – gols sofridos; MGM – média de gols marcados; MGS – média de gols sofridos; AP – aproveitamento de pontos.

Com o melhor desempenho defensivo do Santos na historia da Libertadores, está o ano de 2007. Sofrendo apenas nove gols em 14 jogos, a equipe dos destaques Fabio Costa, Antonio Carlos, Adaílton, Kleber e Maldonado obteve a 3º colocação. Esse time, eleito a quinto melhor do mundo pela IFFHS, também se fez notar pela ofensividade de Cléber Santana, Zé Roberto e Marco Aurélio. 
Empatados com o segundo melhor desempenho estão os anos de 2017 e 2008. Além da marca defensiva, ambas equipes alcançaram a fase quartas de finais.
Apostando num futebol retroativo e jogando na base do contra-ataque, a equipe de 2017 assume o posto de segunda melhor defesa santista por obter melhor colocação, um 6º lugar (quartas de finais). Foram dois técnicos, Dorival e Levir Culpi, a escalação ideal: Vanderlei; Victor Ferraz (Guedes), David Braz, Lucas Veríssimo e Zeca (Jean Mota); Alisson (Tiago Maia), Renato e Lucas Lima; Bruno Henrique, Ricardo Oliveira (Kayke) e Copete. A dupla de zaga e, principalmente, o goleiro foram os grandes destaques!
O time de 2008 (Fábio Costa; Betão, Marcelo, Fabão e Kleber; Rodrigo Solto, Marcinho e Molina; Wesley, Kleber Pereira e Lima), treinado por Emerson Leão não deixou por menos no quesito defensivo – e foi mais aguerrido ao longo da disputa. Curiosamente, mesmo a defesa sendo a grande arma, o time ficou marcado pela garra de Molina e os gols de Kleber Pereira.
No Tricampeonato da Libertadores em 2011, o técnico Muricy Ramalho armou um time – Gabriel, Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso; Zé Love e Neymar – ofensivo que ao mesmo tempo tinha uma marcação forte e disposição tática. Nesse ano obteve o 5º melhor desempenho defensivo. Entre os times com menos de 1 gol por jogo, foi a única equipe santista a conquistar a competição. Uma posição acima, em 2012, alçando as semifinais, o Alvinegro sofreu em média 0,83 por partida e também se destacou na frente. 
A melhor equipe da história do futebol (Gylmar, Lima, Mauro, Calvet e Dalmo; Zito e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe), o Santos de 1962-63, também possuía um excelente desempenho defensivo. Era um esquadrão completo, embora, tenha ficado mais famoso pelo ataque lendário. Em ambos os anos, ao qual resultou no inédito Bicampeão da América entre os brasileiros, o time sofreu praticamente um gol apenas por jogo em media.
Em retrospecto, foram cinco edições ao qual o Santos sofreu menos de um gol por jogo. Desses, apenas o time de 2011 obteve o título e o de 2007 e 2012 chegou as semifinais.

Fontes e Referências:
Almanaque do Santos FC (Guilherme Nascimento);
Centro de Memória e Estatística do Santos FC.

2 Responses to Desempenhos Defensivos na Libertadores

  1. Carlos Alberto Togneri says:

    Boa Tarde,
    Não seria o time de 2007 com média de 0,64 gol sofrido como a melhor da história na competição?

    Parabéns pelo trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *