Desempenhos Ofensivos na Libertadores

Published On 16/11/2017 | Estatísticas
Por Kadw Gomes

Foram 245 gols marcados, média superior a dois gols por jogo, algumas das maiores goleadas, o Santos possui um dos ataques mais poderosos da história da Copa Libertadores da América.
Foi justamente contando com uma ofensiva poderosa, provavelmente a melhor linha de ataque da história do futebol, que o Santos tornou-se o primeiro clube brasileiro Campeão da Libertadores em 1962. O Alvinegro assinalou incríveis 29 gols em 9 jogos, nove deles só no campeão paraguaio! É a segunda equipe mais goleadora do clube e a melhor em media (3,22) ofensiva de um brasileiro na historia da competição.
Essa mesma equipe, treinada por Lula, e formada por Gilmar, Lima, Mauro, Calvet e Dalmo; Zito e Mengálvio; Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe, eleita anos depois a melhor de todos os tempos (segundo europeus e sul-americanos), se eternizou com o Bicampeonato da América em 1963 e um poderio ofensivo maravilhoso: terceiro melhor da historia santista. Nesses dois anos o Santos também teve o melhor ataque da competição. Em segundo, ainda aparece 1965, ano ao qual o Alvinegro aplicou 5-1 no Ballet Azul chileno.

MÉDIAS DE GOLS MARCADOS – COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA
ANO    P    J    V    E    D   GP  GC  MGM   MGS   AP%
1962   1º   90   60   2    1   29   11   3,22   1,22   77,77
1965   4º   70   50   0    2   18   12   2,57   1,71   71,42%
1963   1º   40   3  1    0   10   40   2,50   1,00   87,5
2005   5º   10   50   0    5   24   17   2,40   1,70   50%
2003   2º   14   70   5    2   30   19   2,14   1,35   61,90%

2004   5º   10   60   2    2   21   12   2,10   1,200 66,66%
2007   3º   14   11   2    1   28   90   2,00   0,64   83,33%
2012   3º   12   60   2    4   23   10   1,92   0,83   55,55%
2008   7º   10   60   1    3   18   80   1,80   0,80   63,33%

2011   1º   14   70   6    1   20   13   1,43   0,92   64,29%

Legendas: Ano; P – posição; J – jogos; V – vitórias; E – empates; D – derrotas; GM – gols marcados; GS – gols sofridos; MGM – média de gols marcados; MGS – média de gols sofridos; AP – aproveitamento de pontos.

Depois das façanhas na década de 1960 e a fraca campanha de 1984, o Santos passou um longo período hiberna da competição, voltando com força total só no século XXI.
Logo no retorno o Santos alcançou o vice-campeonato em 2003. A equipe (terceira melhor do mundo segundo a IFFHS) escalada com Fábio Costa, Alex, André Luís e Léo; Renato, Elano e Diego; Robinho e Ricardo Oliveira, além de obter a quinta melhor média de gols (2,14) do clube, o melhor ataque do torneio naquela edição, é a maior goleadora da história santista na Libertadores, com 30 tentos assinalados em 14 prélios!
Nos dois anos seguintes o Santos parou nas quartas de finais da Libertadores. A ofensiva, porém, alcançou realce: em 2004 total de 21 gols em 10 jogos, e 24 gols nos 10 jogos que fez em 2005, quarta melhor ofensiva (além da maior goleada). Em quantidade e aproveitamento esses anos perdem para 2007. Time semifinalista e maior ataque da América, com um total de 28 gols (3º maior goleador santista) em 14 partidas. Apesar de ter feito a maior goleada do torneio em 2008, esse ano é apenas o 9º em quantidade e média.

ATAQUES COM MAIS GOLS – COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA
ANO   P     J    V    E    D    GP   GC   MGM    MGS   AP%
2003   2º   14   70   5    2    30    19    2,14    1,35   61,90%
1962   1º   90   60   2    1    29    11    3,22    1,22   77,77
2007   3º   14   11   2    1    28    90    2,00    0,64   83,33%
2005   5º   10   50   0    5    24    17    2,40    1,70   50%
2012   3º   12   60   2    4    23    10    1,92    0,83   55,55%
2004   5º   10   60   2    2    21    12    2,10    1,20   66,66%
2011   1º   14   70   6    1    20    13    1,43    0,92   64,29%
1965   4º   70   50   0    2    18    12    2,57    1,71   71,42%
2008   7º   10   60   1    3    18    80    1,80    0,80   63,33%
2017   6º   10   50   4    1    16    80    1,60    0,80   63,33%


Em 2012, quando chegou as semifinais, o Santos havia feito a maior goleada daquela edição (8×0 no Bolívar), ainda obteve o maior ataque da Libertadores (23 gols em 12 jogos) e tornou-se o clube com o maior ataque por edições da competição sul-americana: recorde em sete edições!
Na conquista do Tricampeonato da Libertadores em 2011, o esquadrão branco tinha um futebol bonito, ofensivo e ao mesmo tempo protegido, marcou 20 gols nas 14 partidas que cumpriu. É o décimo melhor ataque e o sétimo maior do Santos no torneio.

EDIÇÕES COM A MAIOR GOLEADA DA LIBERTADORES:
1962 – 28/02/62 – Santos 9 x 1 Cerro Porteño (PAR)
2005 – 11/05/05 – Santos 6 x 0 Bolívar (BOL)
2008 – 01/04/08 – Santos 7 x 0 San José (BOL)
2012 – 10/05/12 – Santos 8 x 0 Bolívar (BOL)

EDIÇÕES COM O MAIOR ATAQUE DA LIBERTADORES:
1962 – 29 gols.
1965 – 18 gols.
2003 – 30 gols.
2004* – 21 gols.
2007 – 28 gols.
2012 – 23 gols.
RANKING ENTRE BRASILEIROS:
1º Santos (6) – 1962, 1965, 2003, 2004, 2007 e 2012.
2º Cruzeiro (5) – 1976, 2001*, 2009, 2010 e 2014*.
3º São Paulo (3) – 1974, 2004* e 2005. Palmeiras (3) – 1968, 2000 e 2001*.
4º Grêmio  (2) – 1983 e 1995. Flamengo (2) -1981 e 1984.
5º Fluminense (1) – 2008. Atlético MG (1) – 2013. Botafogo (1) – 1973.

Assim, o Santos possui sete desempenhos com pelo menos dois gols por jogo em média, sendo um superior a três por partida (quando também obteve a melhor media de gols de um brasileiro). É ainda o clube brasileiro com o recorde de mais vezes como melhor ataque da Libertadores (seis vezes) e aplicou as maiores goleadas em 4 edições.

Fontes e Referências:
Almanaque do Santos FC (Guilherme Nascimento);

Centro de Memória e Estatística do Santos FC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *