Exterminador de Clássicos

Published On 18/03/2017 | Clássicos e Rivalidades, Jogos Históricos
Por Ronaldo Silva,
São Paulo, 14/03/2017

O Santos, então vice-líder do Campeonato Brasileiro, com a necessidade de vencer o clássico diante do Palmeiras para não permitir que o líder São Paulo ampliasse a vantagem na briga pelo título. Do outro lado, o Palmeiras que havia iniciado o torneio lutando contra o rebaixamento, reagiu com a vinda do técnico Tite e se encontrava invicto há 11 jogos.
A Vila Belmiro receberia um confronto de equipes confiantes, com a promessa de equipes ofensivas que buscariam a vitória e a consolidação no Campeonato Nacional. Mesmo com a boa campanha do Santos, o técnico Luxemburgo buscava a regularidade da equipe para acabar com as críticas recebidas por parte da exigente torcida santista devido à qualidade do futebol apresentada nas últimas partidas

O JOGO
O time alviverde teve a primeira oportunidade do combate, aos 10 minutos, após falha de Maldonado, Marcinho avançou sozinho pela intermediária e desperdiçou grande chance ao chutar em cima de Fábio Costa. Na sequência, Juninho Paulista não aproveitou rebote e mandou muito acima da meta santista. O Santos não se intimidou, sentindo a defesa palmeirense demonstrar insegurança, passou a explorar o jogo aéreo.
Aos 13 minutos, uma cruzamento da esquerda de Wellington Paulista, Rodrigo Tiuí cabeceou baixo nas mãos do goleiro Diego Cavalieri. Contudo o goleiro não conseguiu segurar a bola, e Luís Alberto, oportunista, encheu o pé e anotou o primeiro gol santista.
Após sofrer o gol, o time palmeirense começou a buscar mais o ataque e demonstrar outra disposição. Aos 22 minutos, num raro momento de lucidez alviverde Edmundo entortou Maldonado e cruzou da esquerda para Juninho Paulista concluir com precisão, partida empata em 1 a 1. Porém, a comemoração durou muito pouco. Aos 24 minutos, cobrança de falta, na esquerda, com Rodrigo Tabata que centrou para o zagueiro Luís Alberto, cheio de estilo, se antecipar a marcação e não dar chances ao goleiro palmeirense: 2 a 1.
SEGUNDO TEMPO
A partida seguiu em ritmo movimentado, o Palmeiras buscou imprimir uma pressão com muita vontade de seus jogadores. Mas Vanderlei Luxemburgo orientou o time santista à pressionar por todos os lados do campo com uma marcação bastante eficiente. O time alviverde teve problemas para suportar o volume de jogo do Santos e aos poucos sucumbiu, o placar equilibrado registrado no primeiro tempo passou a ser desmentido.
Aos 14 minutos, Paulo Baier errou passe no campo de defesa e viu Wellington Paulista roubar a bola e invadir a àrea livremente para fuzilar: 3 a 1. A partir daí somente o Santos esteve em campo, aos 22 minutos, Dênis inverteu na esquerda para Kleber e o centro chegou preciso para Wellington Paulista, de cabeça, completar para o fundo da meta alviverde novamente.

Jonas vibra com o 5º gol (Foto/Estadão)

O quarto gol pareceu não ser suficiente para o time alvinegro, que demorou apenas três minutos para marcar outro gol. Com tremenda facilidade, numa bela troca de passes, o lateral Kleber serviu Jonas na entrada da área do Palmeiras e tocou na saída de Diego Cavalieri.
Com a goleada desenhada, o restante do confronto serviu para a torcida presente à Vila Belmiro cansar de gritar “olé” e a equipe diminuir o ritmo de um placar que poderia ter sido ampliado. Pelé, presente em seu camarote, vibrou bastante com o grande resultado e até mesmo dançou de alegria com o futebol por música imposto pelos comandados de Luxemburgo.
O Santos confirmava sua trajetória de “Exterminador de Clássicos” neste campeonato onde já havia derrotado o mesmo Palmeiras, como visitante, por 2×1. Também havia vencido os outros integrantes do trio de ferro. Contra o Corinthians, na Vila, por 2×0 e diante do São Paulo, em pleno Morumbi, por sonoros 4×0.

FICHA TÉCNICA
03/09/2006 – Santos 5 x 1 Palmeiras
Gols: Luís Albero aos 13min e 24min e Juninho Paulista aos 22min do primeiro tempo; Wellington Paulista aos 14min e 22min e Jonas aos 24min do segundo tempo
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos
Competição: Campeonato Brasileiro
Renda: R$ 167.060,00
Público: 10.873
Árbitro: Leonardo Gaciba (RS)
SFC: Fábio Costa; Dênis, Manzur, Luís Alberto e Kleber; Maldonado, André Luiz (Carlinhos), Cleber Santana e Rodrigo Tabata; Rodrigo Tiuí (Jonas) e Wellington Paulista (Renatinho). Técnico: Vanderlei Luxemburgo
SEP: Diego Cavalieri; Daniel, Nem e Alceu (Chiquinho); Paulo Baier, Francis (Marcinho Guerreiro), Wendel, Juninho Paulista, Edmundo e Michel (Marcelo Costa); Marcinho. Técnico: Tite

FONTES E REFERÊNCIAS
Almanaque do Santos FC;
Jornal “A Tribuna” de Santos;
Jornal “Folha de São Paulo”;
ASSOPHIS (Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *