Floriano – 1930-1933

Published On 22/10/2016 | Ex-Atletas
Por Ronaldo Silva e Gabriel Santana,
Santos, 22/10/2016

Nome completo – Floriano Peixoto Corrêa
Período – 1930-1933
Posição – Centromédio
Nascimento – 14 de Maio de 1903, em Itapecerica, Minas Gerais
Jogos – 53
Gols – 00

Histórico – Filho de pai republicano, foi batizado com o nome do “Marechal” Floriano Peixoto. Em 1916, ingressou no Colégio Militar da cidade de Barbacena, nessa cidade atuou no Mayrinck F.C. e no Paisandu. Em 1919, resolve pedir transferência para o Colégio Militar de Porto Alegre, e seu primeiro clube em terras gaúchas foi o Internacional, tendo em seguida atuado no E.C. Juvenil (Caxias do Sul), E.C. Porto Alegre e por último no Grêmio onde sagrou-se campeão no ano de 1923. Nesse período, perdeu seus pais e foi obrigado a sair dos estudos militares.
Decidido a retornar sua carreira militar, foi transferido ao Rio de Janeiro. Foi convidado a atuar no Fluminense, onde seu futebol clássico e vistoso começou a impressionar. O centromédio foi convencido por seu clube a dar baixa na vida militar e dedicar-se ao futebol. Em pouco tempo, passou a integrar a Seleção Carioca onde inclusive tornou-se capitão e chegou a Seleção Brasileira que foi a Buenos Aires no Sulamericano de 1925. Floriano foi um dos mais destacados atletas que alcançaram o vice-campeonato.
Após ser acusado de receber suborno, Floriano deixou o Fluminense e seguiu no futebol carioca. Transferiu-se para América, onde recebeu a alcunha que levou no resto de sua carreira: “Marechal das Vitórias”. Ficou conhecido por conduzir a equipe rubra ao título de 1928, porém, no ano seguinte ao perder o título para o Vasco novamente é acusado de receber suborno e se desencanta com o futebol. Ainda defendeu o São Cristóvão, onde após seguidas tristezas com o futebol decide buscar um novo caminho na sua vida e acaba indo morar no interior paulista em Barretos. Muda de opinião, e retorna ao futebol para jogar no Barretos.
Em 1930, recebeu um telegrama de Urbano Caldeira para atuar no Santos, e prontamente aceitou. Além de atuar no Alvinegro, trabalhava como corretor de café na firma S.A. Levy. Fez parte da grande equipe onde atuavam grandes ídolos como Athié e Feitiço. Alcançou o vice-campeonato paulista de 1931. Na Vila Belmiro, apresentou atuações que demonstrou maestria e classe, possuía grande capacidade de distribuir o jogo e qualidade no passe, estas características que fizeram de Floriano um dos mais renomados centromédios do futebol brasileiro no seu período. Foi acusado ao lado de Feitiço numa suposta tentativa de suborno a jogadores do Juventus na última partida do campeonato de 1931, caso foi julgado e ambos atletas santistas foram inocentados. Em 1932, apesar de nascido no estado de Minas Gerais lutou na Revolução Constitucionalista pelas tropas paulistas.
No ano seguinte, deixou a Vila Belmiro e se tornou o primeiro jogador brasileiro a escrever um livro “Grandezas e Misérias do Nosso Futebol” que tratava dos desmandos dos bastidores do futebol. O último clube na sua carreira foi o Atlético Mineiro onde foi jogador e posteriormente treinador, encerrando suas atividades no futebol em 1936.
Floriano morreu ainda jovem, quando contraiu uma doença terrível na época tuberculose pulmonar. Buscou tratamento no exterior indo a Nice, na França. Depois rumou à África para as então colônias francesas de Senegal e a cada dia mais debilitado teve sua última parada na cidade de Orán, na Argélia, onde faleceu em 19 de setembro de 1938.

ESTREIA
28/08/1930 – Santos 4 x 1 União FC (Mogi das Cruzes)
Gols: Camarão, Feitiço, Pinheiro e Victor Gonçalves – Não Informado
Local: Mogi das Cruzes /SP
Competição: Amistoso (Taça Cidade de Mogi das Cruzes)
Árbitro: Não Informado
SFC: Victor Lovechio; Bompeixe e Pinheiro; Roberto, Floriano e Tilly; Prisco, Camarão, Feitiço, Victor Gonçalves e Evangelista. Técnico: Platero
UFC: Não Informado
ÚLTIMO JOGO
04/02/1933 – Santos 5 x 1 Juventus
Gols: Logu, Mário Seixas, Raul (2) e Catitu – Nico
Local: Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Amistoso
Árbitro: Sotero de Mendonça
Renda: R 3:890$000
SFC: Victor Lovechio; Garcia e Meira II; Agostinho, Floriano e Alfredo; Victor Gonçalves, Armandinho, Raul, Mário Seixas (Catitu) e Logu.
CAJ: José; Segalla e Luiz; Rafa, Brandão e Joãozinho; Vasco, Nico, Orlando, Moacyr e Hércules

Jogos e gols:
1930 – 01 jogo e 00 gol
1931 – 30 jogos e 00 gol
1932 – 20 jogos e 00 gol
1933 – 02 jogos e 00 gol
Total: 53 jogos e 00 gol

Fontes e Referências:
Almanaque do Santos FC;
Jornal “A Gazeta”;
Jornal “Correio Paulistano”;
www.sosumulas.blogspot.com.br

 

Comments are closed.