Gradim – 1936-1944

Published On 30/12/2015 | Ex-Atletas, Ídolos
Por Gabriel Santana
Santos, 30/12/2015
Nascido no dia 12 de dezembro de 1913, em Taquara, Rio Grande do Sul, Adhemar de Oliveira, ou somente Gradim, foi o primeiro grande Coringa da Vila Belmiro!
Começou futebolisticamente pelo extinto Força e Luz, de Porto Alegre, em 1931, sendo contratado pelo Santos após se destacar pela Seleção Gaúcha, vice-campeã Brasileira em 1936.
Antes do ídolo Lima consagrar o apelido de Coringa, Gradim era conhecido como “Amélia”, a nomenclatura de coringa na época. Sempre sem reclamar, assim como a mulher-título do famoso samba de Ataulfo Alves e Mário Lago. Da quarta zaga ao comando de ataque, Gradim esteve em todas as posições.
Foi zagueiro, volante, armador direito e esquerdo e centroavante. Em determinados períodos de tempo, foi também o batedor de pênalti oficial da equipe, o que ajudou a manter a boa média de gols marcados pelo Alvinegro.
E o mais importante, Gradim atuava bem em todas as posições, e sempre garantia um lugar no time titular. Poucas vezes, foi suplente.
Foi o artilheiro máximo da equipe nas temporadas de 1937 e 1938, com 18 e 19 gols respectivamente.
Infelizmente não ganhou nenhum título pelo time de Vila Belmiro, porém, sua garra, vontade e determinação dentro de campo deve ser sempre lembrada, e enaltecida da melhor maneira possível. Foi um dos principais jogadores santistas nas décadas de 30 e 40.
Antes de encerrar a carreira, atuou pelo Jabaquara.
Gradim marcou 95 gols pelo Santos, e é 25º artilheiro da história santista.
Jogos – 271
Gols – 95
Fichas Técnicas:
07/11/1936 – Vasco 3 x 1 Santos
Gols: Zé Carlos; Lauro, Meira (c) e Nena.
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro.
Competição: Amistoso
Vasco: Joel; Poroto e Osvaldo; Oscarino, Chiquinho e Marcelino; Peres (Calocero), Orlando, Jaci, Lauro e Nena (Lima).
Santos: Victor Lovecchio; Neves e Meira; Figueira (Moacyr), Gradim e Marteletti; Sacy, Mário Pereira, Zé Carlos, Araken e Junqueira (Antenor). Técnico: Bilu
– Estreia de Gradim.
06/12/1936 – Santos 8 x 2 Lusitano
Gols: Mário Pereira aos 6min e aos 7min, Andó aos 12min, Zé Carlos aos 14min e aos 30min, Ruiz aos 22min e Araken Patusca aos 25min do primeiro tempo; Mário Pereira aos 14min, Gradim aos 22min e Araken Patusca aos 35min do segundo tempo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Campeonato Paulista
Árbitro: Sylvio Stucchi
Santos: Cyro; Neves e Meira; Ramon, Gradim e Marteletti; Junqueira, Mário Pereira, Zé Carlos, Araken e Antenor. Técnico: Bilu
Lusitano: Onofre; Rui e Bartô; Ruiz, Melo e Paco; Otavio, De Luca, Andô, Tatu e Vicente.
– Primeiro gol com a camisa do Santos.
12/10/1941 – Ypiranga 4 x 5 Santos
Gols: Cláudio, Gradim, Ruy e Carabina [2]; Peixe [2] e Miguelzinho [2].
Local: Estádio Nami Jafet, em São Paulo.
Competição: Campeonato Paulista
Árbitro: Pausânias Pinto da Rocha
Ypiranga:
Santos: José; Neves e Gradim; Figueira, Elesbão e Inglês; Cláudio, Armandinho, Carabina, Antoninho e Ruy. Técnico: Dário Letona
Ypiranga: Doutor; Aníbal e Bérgamo; Armando, Corrêa e Américo; Peixe, Aldo, Miguel, Lupércio e Edmundo.
– Atuando como zagueiro, deixou sua marca na difícil vitória diante do Ypiranga.
19/04/1942 – Jabaquara 1 x 8 Santos
Gols: Guilherme aos 20min e Gradim aos 35min do primeiro tempo; Gradim aos 5min, aos 20min e aos 37min, Ruy aos 11min, Leonaldo aos 12min e Antoninho aos 23min e aos 36min do segundo tempo.
Local: Estádio Ulrico Mursa, em Santos.
Competição: Campeonato Paulista
Árbitro: Carlos Rusticcheli
Jabaquara: Talladas; Lulu e Issame; Inglês, Mário e Sant’Anna; Leonaldo, Bemba, Veiga, Broto e Geró.
Santos: Nobre; Neves e Osvaldo; Figueira, Elesbão e Ayala; Zoca, Guilherme, Gradim, Antoninho e Ruy. Técnico: Ratto
– Já no comando de ataque, Gradim anotou 4 gols em uma só partida, igualando seu feito de 1937, quando já havia marcado 4 tentos diante do Ypiranga.
19/11/1944 – Seleção de Ribeirão Preto 0 x 2 Santos
Gols: Eunápio [2].
Local: Vila Tibério, em Ribeirão Preto, São Paulo.
Competição: Amistoso (Taça Santa Casa de Ribeirão Preto)
Árbitro: Atílio Grimaldi
Seleção: Mário Ferreira (Aresta); Sued e Hélio; Carreira, Valdemar e Itamar; Salvio, Vavá, Bertani (Nêgo), Bilac (Carlito) e Moranguinho.
Santos: Joel; Jaú e Gradim; Ayala, Nenê e Albertinho; Guilherme, Nélio (Odair), Octacílio (Roque), Eunápio e Ruy.
– Ultima partida de Gradim pelo Santos.
Fontes e Referências:
Centro de Memória e Estatística do Santos;
Almanaque do Santos;
Livro “100 anos, 100 jogos e 100 ídolos”;

6 Responses to Gradim – 1936-1944

  1. Rafa Silva says:

    Esse deveria ser valorizado. Mais um esquecido….

  2. Rubens says:

    Conheci esse senhor já de cabelos brancos em 1963.
    Meu pai conta que ele marcava com giz o local onde ia acertar a bola e não errava um chute.
    Conheço os filhos dele.
    A cidade é Mandaguaçu Pr.

    • gabrielsantana says:

      Rubens, boa noite!

      O senhor poderia nos passar o contato dos filhos dele? Gostaríamos muito manter contato com a família, e sempre preservar nossos atletas!

      Obrigado!

      • Antonio Roberto Ferreira says:

        Eu também conheci um senhor de apelido Gradim ,na referida cidade de Mandaguaçu Pr.ao lado de Maringá nos anos 60 a 65 se quizerem mesmo saber da Familia dele de verdade que por sinal na época era muito pobre entrem em contato com o grupo de Amigos de Mandaguaçu que tem uma cidade inteira que lhes informara melhor.Grato se forem atráz.

        • gabrielsantana says:

          Obrigado pela informação amigo Antônio, iremos sim entrar em contato!

          • Antonio Roberto Ferreira says:

            Um amigo ficou de me passar o telefone de uma filha ,vou cobra-lo novamente e te passo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *