Haroldo – 1963-1967

Published On 30/09/2016 | Ex-Atletas
Por Gabriel Santana e Ronaldo Silva
Santos, 30/09/2016

Nome completo – Theodorico Haroldo de Oliveira
Período – 1963-1967
Posição – Zagueiro
Nascimento – 1 de julho de 1937, no Rio de Janeiro
Jogos – 113
Gols – 00

Histórico – Ao se destacar no Olaria-RJ, atuando principalmente pelo Torneio Rio-São Paulo, Haroldo chamou a atenção da diretoria santista, que prontamente não mediu esforços para contratá-lo.
Fechou acordo com o Santos no dia 19 de março de 1963, três dias após ter enfrentado o próprio Santos, por 30 milhões de cruzeiros. O Flamengo também tinha interesse no zagueiro, e tinha negociações avançadas com o Olaria-JR, porém, o Alvinegro foi mais ágil, e levou Haroldo para a Vila Belmiro.
A diretoria e a comissão técnica estavam certos que o quarto-zagueiro acrescentaria muito no time santista, e fizeram de tudo para inscrevê-lo nas finais do Campeonato Brasileiro de 1962, que seriam disputados no dia 31/03 e 02/04. O tempo não foi suficiente, e o Santos ficou sem o zagueiro nas finais.
Conhecido também como sombra, devido a sua marcação implacável, foi crucial nas conquistas dos Títulos Brasileiro de 1963 e 1964. Na edição de 1963, atuou em todas as partidas da campanha, e em 1964, atuou nas duas finais, diante do Flamengo.
O auge de Haroldo no Santos, certamente foi o Mundial Interclubes de 1963. Atuou nas três partidas diante do Milan/ITA, e sagrou-se Campeão Mundial de clubes com o Alvinegro Praiano. Também conquistou o Bicampeonato Paulista 1964-1965 e o Título do Torneio Rio-São Paulo, em 1966.
Antes de se despedir do Santos, foi convocado para defender a Seleção Paulista, e tornou-se mais um representante santista no selecionado.
Seu contrato foi encerrado no dia 31 de março de 1967, e a pedido de Alfredinho, que na ocasião era técnico do XV de Piracicaba, Haroldo se transferiu para o interior. Disputou a segunda divisão paulista, e ajudou o XV a retornar para a elite.
O excelente quarto-zagueiro, e em algumas ocasiões lateral-direito, morreu no Rio de Janeiro, no dia 12 de junho de 1990.

PELO OLARIA-RJ
16/03/1963 – Santos 5 x 1 Olaria-RJ
Gols: Pelé [3], Mengálvio e Coutinho; Luiz Carlos.
Competição: Torneio Rio-São Paulo
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.
Público: 7.126 pagantes
Renda: Cr$ 2.660.950,00
Árbitro: Amilcar Ferreira
Santos: Gilmar (Laércio); Lima, Mauro e Dalmo; Calvet e Zito; Dorval (Batista), Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Olaria: Ari; Waltinho, Navarro (Atila) e Casimiro; Edil (Sérgio) e Haroldo; Othon, Válter, Luis Carlos, Valdemar e Roberto Peniche. Técnico: Duque
ESTREIA
25/05/1963 – Partizan/SER 1 x 1 Santos
Gols: Coutinho aos 43min do primeiro tempo; Haswagi aos 15min do segundo tempo.
Local: La Meinau, em Strasburg, França.
Competição: Amistoso
Público: 23.000 aproximadamente
Partizan: Soskic; Jusufi, Sombolac e Vukelio; Vasovic e Sijakovic; Rudiwski, Kovscevic, Haswagi, Galic e Skoblar.
Santos: Gilmar (Laércio); Dalmo, Mauro e Geraldino (Lima); Zito e Haroldo; Dorval (Batista), Mengálvio, Coutinho, Pagão (Nenê) e Pepe. Técnico: Lula
ULTIMA PARTIDA
26/03/1967 – Vasco 2 x 1 Santos
Gols: Pelé; Adílson e Bianchini.
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.
Competição: Campeonato Brasileir
Público: 46.053 pagantes
Renda: NCr$ 81.127,25
Árbitro: Armando Marques
Vasco: Franz; Jorge Luís, Brito e Fontana; Oldair e Salomão; Zezinho, Bianchini, Nei (Adílson), Danilo Menezes (Maranhão) e Moraes (Nado). Técnico: Zizinho
Santos: Gylmar; Oberdan e Geraldino; Carlos Alberto, Haroldo e Zito; Copeu (Amauri), Lima (Buglê), Toninho, Pelé e Edu. Técnico: Antoninho

• Jogos e gols:
1963 – 18 jogos
1964 – 36 jogos
1965 – 25 jogos
1966 – 30 jogos
1967 – 04 jogos
Total: 113 jogos e 00 gol.

Fontes e Referências:
Centro de Memória e Estatísticas do Santos FC;
Almanaque do Santos FC;
Jornal “Mundo Esportivo”;
Revista “Bola Alvinegra”;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *