História do Clube


11139586_865345063537196_1766241975_n

Por Kadw Gomes
Fundado no dia 12 de abril de 1912, na rua do rosário, por um grupo de jovens idealistas, formou-se o nobre relicário do futebol, o Santos F.C. Predestinado a momentos memoráveis, o Alvinegro traz consigo uma história singular, rica e irrepreensível, repleta de grandes conquistas construídas por craques e gênios incontestáveis. O clube é contemplado de feitos históricos, acontecimentos sublimes e um DNA ofensivo que o demarca para sempre, assim como o Futebol Arte, filosofias que o acompanham desde os primórdios.
Com um legado de contribuições ao futebol, a gloriosa história do Santos que tem a Vila Belmiro (estádio Urbano Caldeira) como palco de façanhas, tornando-a um alçapão e templo do futebol, mostra também momentos de superação e reinvenção perante algumas adversidades, principalmente, nos períodos iniciais. No Amadorismo e início profissional, gerações de craques passam a ser praxes do clube, surgem as dinastias de 1916-19, 1927-31, 1935-36 e 1948-50. Na década de 1950, a Alquimia Santista dá fruto a uma geração histórica (1955-1959) que deu início ao momento de ouro do clube e do país.
O futebol brasileiro chegou ao cume conquistando três Copas do Mundo (1958, 1962 e 1970), quando o Alvinegro foi inerente protagonista da Era de Ouro do futebol nacional. Nesse transcorrer impressionante o clube arrebatou multidões, agraciou público de várias línguas, metamorfoseou futebol em espetáculo, paralisou guerras na África, fez um ditador se curvar, mostrou o jogo mais perfeito e inigualável já visto, tornou-se o grande embaixador do futebol. Sem temer se expor, reinou nas Américas e na Europa, triunfando contra os mais famosos e consagrados adversários. Atravessou o mundo abrindo os olhos dos asiáticos e congelou ainda mais os espectadores na Oceania. Não houve quem resisti-se ao Santos.
Em face do Time dos Sonhos, da imaculada camisa branca, da corte de um Rei, o resto pareceu futebol plebeu. O Santos tornou-se a maior expressão futebolística do Brasil – o Futebol Arte em essência. E se o momento de maior alegria e principal objetivo desse esporte é o GOL, ninguém assinalou mais que clube de Vila Belmiro, a instituição com mais tentos na história do futebol mundial.
O Maior Clube do Século XX nas Américas (FIFA) mostra uma filosofia particular de produzir craques, assim apresentou ao mundo o maior jogador de todos os tempos (Pelé) e tantas outras lendas. Se rejuvenescer e renovar o futebol com grandes equipes (1973-74, 1983-84, 1995) e reinventa-se no esplendor das gerações de Meninos da Vila (1978-79, 2002-04, 2010-12, 2015-16). Na descrição da confederação sudamericana (Conmebol) o time do “jogo bonito” com “uma história de craques, títulos e futebol arte”.
Na Itália recebeu alcunha de mito (La Gazzeta Dello Sport), na Alemanha de legendário (Kircker), na Espanha de clube de lendas (Marca), na Argentina o elegeram a maior dinastia da história (El Gráfico), já na França pelas notas da France Football e L’Equipe o proclamaram o melhor clube do mundo – uns são Reis de Copas, os santistas foram proclamados Reis do futebol. No Brasil e na Europa o Santos promoveu o futebol como embaixador e objeto diplomático (na África, nos Estados Unidos, na França…).
Laureado três vezes a nível mundial (Campeão dos Campeões Mundiais/68 e Bicampeão Mundial Interclubes/62-63), Tricampeão da Copa Libertadores da América/62-63-11, Octacampeão Brasileiro/61-62-63-64-65-02-04, o Santos é o clube mais vencedor de títulos de magnitude maior dentre brasileiros. Notabilizado como um Campeão da Técnica e da Disciplina (Jornal o Globo, 1927), tornou-se o campeão do profissionalismo no futebol paulista (22). Além das conquistas em quantidade e qualidade, constam contribuições importantes firmando-o como um representante assíduo do país no futebol global.
A HISTÓRIA DO CLUBE resgata os fatos mais íntimos, grandes acontecimentos e a miríade de processos relevantes do Santos Futebol Clube:

CONTEXTOS RELEVANTES

• Genealogia e Fundação do clube (1912)
 
A primeira partida (1912)

• O Grande Time da Cidade (1912 a 1915)
Família Patusca (1912-1935)
Urbano Caldeira (1913-1933)

Inauguração da Vila Belmiro (1916)
A história em Versos – Especial Centenário (1912-2012)
Ruas Santistas (1912-2016)
Família Santista (1912-2016)

A HISTÓRIA DÉCADA A DÉCADA

 PRIMEIRA DÉCADA (1912-1922)
Fundação do Clube

O Templo do Futebol: Vila Belmiro
Primeira Geração de Craques e Conquistas

SEGUNDA DÉCADA (1922-1932)
Geração Histórica

Revolução Ofensiva
Campeão da Técnica e da Disciplina

TERCEIRA DÉCADA (1932-1942)
A Glória do Campeão

Triunfos sobre os Campeões Nacionais Sul-Americanos
Na Ânsia de Subir a Queda

QUARTA DÉCADA (1942-1952)
Athié assume a Presidência
A Semente é Plantada
 Alvorecer Santista

QUINTA DÉCADA (1952-1962)

 Alquimia Santista
 Pelé chega à Vila Belmiro
 O Melhor Time da América do Sul

SEXTA DÉCADA (1962-1972)
O Maior Time de Todos os Tempos
O Protagonista da Era de Ouro do Futebol Brasileiro
 Dinastia Santásticos

SÉTIMA DÉCADA (1972-1982)
 Globetrotters do Futebol
A Explosão da Torcida
Os Meninos da Vila

OITAVA DÉCADA (1982-1992)

Entre os melhores times do país
Feios, Sujos, Malvados e Campeões
Retrocesso na política e nos resultados

NONA DÉCADA (1992-2002)
Política pês no chão
O Melhor Time do Brasil 
A Base do Hepta-campeonato Brasileiro

DÉCIMA DÉCADA (2002-2012)
– Os Meninos (II) e a volta das grandes conquistas
– O primeiro Bicampeonato estadual pós-Era Pelé
– Meninos (III) do Brasil e da América
 DÉCIMA PRIMEIRA DÉCADA (2012-2016)
– A Reconstrução Modesta