Homenagem aos torcedores cariocas

Published On 16/03/2014 | Histórias, Memória Santista
Por Gabriel Santana
Santos, 16/03/2014
No dia 22 de março de 1964, o Santos mostrou toda a sua gratidão ao povo carioca, pelo incentivo em jogos internacionais.
Na década de 60, o Alvinegro Praiano, costumava a mandar os seus jogos de extrema importância no Estádio do Maracanã. Contra o time argentino, Boca Juniors, na final da Taça Libertadores de 1963, 63.376 pessoas apoiaram o Santos. E nas finais dos Mundiais Interclubes de 1962 e 1963, o Maracanã ficou praticamente lotado! Por conta disso, em um jogo válido pelo torneio Rio-São Paulo de 1964, onde o Santos enfrentou o Fluminense, no Maracanã, os jogadores santistas entraram em campo com as camisas de times do Rio de Janeiro, mostrando o seu agradecimento e homenagem ao torcedor carioca.
• Relação das camisas vestidas:
Lima (Campo Grande)
Ismael (Madureira)
Joel Camargo (Flamengo)
Olavo (Vasco da Gama)
Mengálvio (América)
Gilmar (Único com a camisa do Santos)
Peixinho (Bangu)
Rossi (São Cristóvão)
Toninho Guerreiro (Portuguesa)
Pelé (Olaria)
Pepe (Fluminense)
• Partidas no Estádio do Maracanã, que renderam a homenagem:
19/09/1962 – Santos 3 x 2 Benfica – Mundial Interclubes; 1º jogo da final
Público: 94.129
04/09/1963 – Santos 3 x 2 Boca Juniors – Taça Libertadores; 1º jogo da final
Público: 63.376
14/11/1963 – Santos 4 x 2 Milan – Mundial Interclubes; 2º jogo da final
Público: 132.728 pagantes
16/11/1963 – Santos 1 x 0 Milan – Mundial Interclubes; 3º jogo da final
Público: 120.421 pagantes
• Trecho retirado do Jornal Última Hora:
Sobre a homenagem do Santos as torcidas dos clubes cariocas, o Sr. Athiê Jorge Cury disse que o grêmio de Vila Belmiro sabe agradecer a altura tudo quando recebe de bom:
“Os desportivas cariocas, estão no coração de cada craque e de cada dirigente do Santos. Na Guanabara, conquistamos o bicampeonato mundial de clubes campeões, graças ao incentivo dos torcedores cariocas, embora a decisão do campeonato, ao jogarmos contra o Milan, não tenha sido a primeira vez que os cariocas demonstram o seu carinho, simpatia e admiração pelo nosso clube”
• Curiosidade:
É notório que na homenagem feita, o Santos não incluiu a camisa do Botafogo. Santos e Botafogo protagonizavam um dos melhores clássicos do futebol mundial na década de 60, e por isso, era natural ter uma grande rivalidade entre as equipes.
• Ficha técnica da partida:
22/03/1964 – Fluminense 0 x 1 Santos
Gol: Pepe (p) aos 8min do segundo tempo.
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.
Competição: Torneio Rio-São Paulo
Público: 39.575
Renda: Cr$ 19.827.199,00
Árbitro: Eunápio de Queiróz
Fluminense: Marcio; Carlos Alberto Torres, Procópio, Altair e Nonô; Oldair (Denílson) e Joaquinzinho; Ubiraci (Calazans), Manoel (Luiz Henrique), Moraes e Escurinho.
Técnico: Fleitas Solich
Santos: Gilmar; Ismael, Olavo e Lima (Aparecido); Joel e Mengálvio; Peixinho, Rossi, Toninho, Pelé (Coutinho) e Pepe (Batista). Técnico: Lula.
Fontes e Referências:
Almanaque do Santos;
Jornal Folha de São Paulo;

Jornal “A Tribuna” de Santos;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *