Índio – 1990-1994

Published On 05/11/2016 | Ex-Atletas
Por Ronaldo Silva e Gabriel Santana
Santos, 05/11/2016

Nome Completo – Rubens Barbosa de Souza
Período – 1990-1994
Posição – Lateral-direito
Nascimento – 05 de julho de 1967, em Almanara, Minas Gerais.
Jogos – 247
Gols – 11

Histórico – Formado nas categorias de base do Nacional-SP, Índio viveu seu grande momento no clube paulistano ao conquistar a Copa São Paulo de Juniores de 1998, onde foi um das grandes revelações do torneio, e com isso, passou a despertar o interesse de diversas equipes importantes do futebol brasileiro.
No início de 1990, surgiu a grande oportunidade de sua carreira ao fechar contrato com o Santos. Naquela temporada, o clube da Vila Belmiro passava por uma reformulação no seu elenco contando com a presença de alguns jovens jogadores da base como Axel e Sérgio Manoel e também buscando algumas boas apostas como Índio. Seu primeiro treinador no time santista foi o eterno Canhão da Vila, Pepe, que em pouco tempo o efetivou na lateral-direito na equipe. Sempre se mostrou um jogador muito veloz, com extrema facilidade de chegar ao ataque e efetuar ótimos cruzamentos.
Formou ao lado do ponta-direita Almir uma grande arma ofensiva por algumas temporadas onde muitas dessas tramas acabaram resultando em gols dos ótimos centroavantes da época Paulinho McLaren e Guga.
Permaneceu no Santos até 1994, e se tornou um dos jogadores mais queridos da torcida nesse período que o clube não alcançou títulos importantes, mas a passagem de Índio pela Vila Belmiro foi a mais importante em sua carreira.
Em 1995, a pedido de Vanderlei Luxemburgo foi vendido ao Palmeiras, por uma boa soma financeira que inclusive ajudou o Santos no início do projeto do Centro de Treinamento. No ano seguinte, jogou no Flamengo ao lado de Romário e conquistou o Campeonato Carioca de 1996. Na sequência de sua carreira defendeu ainda as camisas de Guarani, Goiás (campeão goiano 1998), Atlético-MG (campeão mineiro 1999), São José e finalmente em 2002 encerrou sua carreira profissional atuando na Matonense.
Atualmente Índio mora em São Paulo e dedica-se a escolinha de futebol que é proprietário no bairro de Pirituba.

ESTREIA
28/01/1990 – Santos 0 x 0 São Bento
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos
Competição: Campeonato Paulista
Renda: NCz$ 156.580
Público: 3.009
Árbitro: Davi Sidnei Aveiros
SFC: Sérgio; Ijuí, Camilo, Luiz Carlos e Flavinho (Índio); César Sampaio, Axel e Sérgio Manoel; Serginho Chulapa, Paulinho McLaren e Paulo Leme (Gilmar). Técnico: Pepe
ECSB: Serginho; Adílson Neri, Nildo, Marcelo Aguiar e Augusto; Cleber, Marcelo Conti e Roberto Mineiro; Claudinho, Lima (Pirulla) e Edson. Técnico: Waldir Peres
PRIMEIRO GOL
07/10/1990 – Santos 3 x 0 Vitória
Gols: Luiz Carlos, Paulinho McLaren e Índio.
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos
Competição: Campeonato Brasileiro
Renda: Cr$ 4.040,000
Público: 7.541 + 157 (7.698)
Árbitro: Wilson Carlos dos Santos
SFC: Sérgio; Índio, Pedro Paulo, Luiz Carlos (Amaral) e Marcelo Veiga; César Sampaio, Edu Marangon e Sérgio Manoel; Almir, Paulinho McLaren e Ney (Axel). Técnico: Pepe
ECV: Milagres; Jairo, Missinho, Beto e Paulo Róbson; Cacau, Lino e Luís Carlos (Fernando Cruz); Catatau, Júnior (Denílson) e Roberto Gaúcho. Técnico: Carlos Gainete
ÚLTIMO JOGO
14/12/1994 – Santos 3 x 1 Chivas Guadalajara/MEX
Gols: Demétrius, Dinho e Giovanni – Misael Espinoza
Local: Estádio Coliseum, em Oakland, Estados Unidos.
Competição: Amistoso
Público: 10.000
SFC: Edinho; Índio (Ronaldo), Júnior, Marcelo Fernandes e Silva; Dinho, Gallo, Ranieli (Carlinhos) e Giovanni (Marcelinho Paraíba); Serginho Fraldinha e Demétrius (Paulinho Kobayashi). Técnico: Joãozinho
CDGAC: Eduardo Fernandez; Noé Zarate, Carlos Turrubiates, Guillermo Hernandez e Camilo Romero; José Manuel de La Torre, Omar Arellano, Alberto Garcia e Misael Espinoza; Ignácio Vazquez e Daniel Guzmán. Técnico: Alberto Guerra Lopez

• Jogos e gols:
1990 – 40 jogos e 01 gol;
1991 – 54 jogos e 03 gols;
1992 – 31 jogos e 02 gols;
1993 – 53 jogos e 03 gols;
1994 – 69 jogos e 02 gol;
Total: 247 jogos e 11 gols

Fontes e Referências:
 Almanaque do Santos FC;
Revista Placar;
Site Que Fim Levou (Milton Neves);

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *