Jogos Históricos


11136948_865352953536407_560695024_n

“Vejo e não acredito. A elite de ébano do futebol mundial nos transportou ontem para uma nova dimensão do esporte… As testemunhas do que ocorreu em Shefield dirão a seus filhos e netos que o futebol dos brasileiros chega ao sobrenatural” (reportagem do jornal Daily Mail). A reportagem descrita pela imprensa europeia é apenas um prestigiado exemplo, dentre tantas outras performances extraordinárias feitas pelo Santos FC em jogos históricos, dando uma breve noção da capacidade do clube de promover o espetáculo ao grande público, aos críticos e a imprensa nacionais e internacional.
Seja por predestinação ou imponderabilidades, algumas coisas nascem para serem notadas, causar impacto e revolucionar. No futebol, poucos times englobam tanto esses fatores quanto o Santos FC. Certamente seu primeiro grande resultado, ocorreu logo no primeiro ano de vida, em 1913, quando aplicou um 6 a 3 no alvinegro da capital. Assim, como os resultados de 1×0 no Paulistano, os 8×2 no Botafogo e os 6×0 no Flamengo seguiram como significativos, para um clube que já mostrava um futebol bonito e de bom nível técnico. Como retrata a leitura descrita após triunfo sobre o SCCP: “(…) o único, o melhor, o mais aproveitável, o de mais resultados de todos os sistemas empregados no futebol é o jogo de passes curtos, rápidos e com direção, bem como a combinação geral de todas as linhas entre si, (…) a segurança de passes da linha era tal que parecia linha de profissionais…”
Na década seguinte, os resultados de repercussão foram continuados e o clube alcançou um nível nacional de performances, retratada em jornais. Quando o Vasco da Gama/RJ, então inaugurando a maior praça esportiva da América latina, o estádio São Januário, em 1927, resolveu convidar o quadro santista para a festiva abertura num prélio, acabou propiciando ao Santos seu primeiro grande espetáculo, difundindo em nível nacional. Roubando a cena, o alvinegro impôs um triunfo autoritário de 5 a 3 sobre os cariocas. Não aceitando tal resultado, os Cruzmaltinos tornaram a convidar os santistas para novo jogo, com caráter de revanche, mas os cariocas novamente foram dominados e vencidos, agora por 4 a 1. Na ocasião, os vascaínos inconformados com a derrota, respondiam com bancadas nos atletas santistas que não revidavam, mantendo um jogo limpo.
Tal fato fez com que a imprensa pela primeira repercutisse as atenções para o SFC, ratificando os praianos como o scratch mais forte do Brasil. Na época, o quadro ainda foi definido como um Campeão da Técnica e da Disciplina, pelo Jornal O GLOBO. Naquele esquadrão santista, exibia-se um dos maiores ataques da história, o primeiro no continente sul-americano a assinalar 100 tentos e o único a exercer média de 6,25 gols/jogo, entre outras façanhas. Conforme foi crescendo, ganhando respeito, gradativamente o clube foi sendo convidado para inaugurar outros estádios, fazer excursões mundo a fora, sendo utilizado como produto de popularização do futebol.
“Pelé e Santos FC são armas da França para o futebol ser mais popular que rúgbi” (partida entre Saint-Étienne/Olympique de Marseille x Santos, Jornal do Brasil, em 27 de março de 1971). Pelo transcorrer da história o Santos FC se notifica como um dos nomes mais famosos do mundo, sendo um dos clubes que mais litigiou partidas e enfrentou equipes em todo o planeta. É o brasileiro que mais disputou partidas internacionais na história. Diante disso, constam inúmeros recordes de cume valor, como os de âmbito mundial, por exemplo, que ocorreram por enfrentamentos contra seleções nacionais e o fato de jogar no maior número de países distintos do globo terrestre. Partidas que sucederam-se por competições oficiais, sejam finais ou mata-matas, outros prélios importantes, excursões nacionais/internacionais ou jogos amistosos de excelência internacional. Nesse ínterim, o Santos FC apresentou ao Brasil e ao mundo, alguns dos maiores espetáculos que uma partida de futebol pode proporcionar. Além de elogios no Reino Unido, na França, dentre outros, afirmaram na imprensa argentina trata-se do próprio futebol essência, sem pode exigir mais, contra o Santos, nem o diabo! No Brasil resumiram: NÃO HÁ NEM PODE HAVER MELHOR.
“O jogo do Santos é uma radiante demonstração da arte e do poder desse esporte” (David Jack, jornal Daily Sketch). Foram noticiados pela imprensa em todo o mundo, inúmeros jogos memoráveis ao longo do tempo, em que o Santos FC construiu histórias surpreendentes, magnificas e admiráveis. Em nota, descrevem-se partidas pioneiras, inúmeras goleadas estupendas, duelos de abrangência global e êxitos valorosos. Foi no ano da primeira conquista mundial do Brasil, em 1958, num fervoroso clássico da saudade, entre Santos x Palmeiras, que ocorreram 5 mortes de torcedores por ataque cardíaco devido a emocionante peleja terminada num espantoso 7 a 6! Com o advento da 1º Copa do Mundo, em 1930, a Seleção Francesa acabou esnobada após disputar o mundial, pensaram os franceses que o Santos FC era a própria Seleção Brasileira, após sofrer contagem dilatada de 6 a 1. Pelas finais do Campeonato Brasileiro (Taça Brasil) de 1962, entre Santos x Botafogo, registrou-se o que ficou conhecido como “O Maior Jogo do Mundo” pela imprensa e, obviamente, maior já ocorrido em gramados brasileiros. Em campo, as bases da Seleção do Brasil com 8 atletas campeões do mundo naquele ano, no Chile.
Curiosidade: Em 1961, o clube Olympiakos, da Grécia, ganhou um amistoso do Santos FC, a partida foi tão importante para os gregos, que no hino oficial do clube eles citam a vitória sobre o Glorioso Alvinegro da Vila.
Em alguns dos momentos mais sublimes e desenvoltos, o alvinegro enfrentou e se sobressaiu com brilhantismo contra equipes que, constituíam na época, as maiores escolas futebolísticas, bases de seleções nacionais e respeitáveis esquadrões. Em maior grau de elevação, vale destacar, que estão os triunfos perante o Botafogo/RJ de Garrincha, Didi e Nilton Santos, dentre eles pela finalíssima da Taça Brasil/62, num 5 a 0 em pleno Maracanã. Frente ao Peñarol, do Uruguai, de Spencer e Pedro Rocha, tanto no estádio Centenário quanto no Monumental de Nunez, êxitos por 2×1 e 3×0 respectivamente. As vitorias perante o Benfica (POR) de Eusébio, Coluna e José Aguas, no Maracanã 3 a 2, e em Lisboa, no Stadium da Luz, renomados 5 a 2. Assim como o calar dos portenhos de Boca Juniors (ARG), dos craques Marzolini, Sanfilippo e Antonio Rattín, vencidos por 2 a 1, em plena La Bombonera. A guerrilha ante o Milan de Cesare Maldini, Altafini Mazzola e Gianni Rivera, triunfos por 1 a 0 e 4 a 2 no Maracanã. E por fim, diante da Internazionale de Corso, Sandro Mazzola e Domenghini, por 1 a 0, em pleno Milão, Giuseppe Meazza, entre tantos outros duelos destacados. É notório que tais encontros, sucederam-se nos mais famosos palcos do soccer mundial, numa composição entusiasmada da presença do público brasileiro e estrangeiro.
A qualidade do futebol apresentado e os espetáculos nos estádios ao redor do mundo, proporcionados pelo futebol magico do time de branco, em embates históricos são numerosos e incontestáveis. É digno de nota que, num entusiasmante embate, o Santos venceu por 2 a 1 a maior das gerações uruguaias, então Bicampeões Olímpicos/24-28 e Campeões do Mundo/30. O mesmo ocorre em 1977 e 1983, nos êxitos ante River Plate/ARG (2 a 0) e Peñarol/URU (3 a 0), respectivamente ambos na época campeões da Libertadores. A seleção da Tchecoslováquia, então vice-campeã mundial, acabou derrotada após festival de gols pelo score de 6 a 4, na maior partida do século XX, em solo chileno, um dos Jornais descreveu que “Em nenhum lugar do mundo se viu um futebol assim”. Em nível nacional, o ano de 1995 foi considerado como renascimento santista e nele o brilho na virada histórica sobre o Fluminense, no estádio do Pacaembu, em extraordinário e surpreendente 5 a 2 com show de Giovanni. Pelo Campeonato Brasileiro de 2002, com duas emocionantes e artesanais vitorias (2 a 0 e 3 a 2), contra o Corinthians, no palco do Morumbi, o Santos pedalou para o sétimo título Brasileiro. Todas estas partidas e, muitas outras, são exemplares precisos, de apresentações históricas feitos pelo SFC.
Os JOGOS HISTÓRICOS são as partidas mais importantes
e/ou emblemáticas feitas pelo Santos Futebol Clube:

JOGOS DA DÉCADA 10:
 O pontapé inicial (Santos x Santos Athletic Club, em 1912);
 O primeiro clássico Alvinegro (Santos x Corinthians, em 1913);
 Goleada no primeiro clássico da saudade (Santos x Palestra, em 1915);
  O primeiro jogo fora de São Paulo (Santos x São Cristóvão-RJ, em 1916);
 Desbancando o campeão (Santos x Paulistano, em 1918);
•  Santos 8×2 Botafogo, em 1918.

JOGOS DA DÉCADA 20: 
 Santos 8×4 Corinthians, em 1927;
•  Santos 12×1 Ypiranga, em 1927;
•  Santos 10×0 Portuguesa, em 1928;
•  Santos 7×3 Cruzeiro, em 1929;
•  A primeira vitória internacional (Santos x Deportivo Barracas-ARG, em 1929);
 Goleada sobre os Uruguaios (Santos x Rampla Juniors-URU, em 1929);
•  Santos 4×1 Atlético Tucumán-ARG, em 1929;
•  Santos 4×1 Huracán-ARG, em 1930.
•  A vitória fulminante sobre a Seleção da França (Santos x Seleção da França, em 1930);

JOGOS DA DÉCADA 30:
 A vitória contra a base da Seleção Uruguaia  (Santos x Bella Vista/URU, em 1931);
 
O eterno 7×1 (Santos x Corinthians, em 1932);
•  Santos 4×1 Vasco, em 1934.
•  Ensinando futebol aos professores (Santos x Estudiantes/ARG, em 1936);
•  Santos 4×0 São Paulo, em 1936.
•  Santos 2×0 Flamengo, em 1937.
•  Santos 4×1 São Paulo, em 1937.
•  Perigo no Alçapão (Santos x Libertad/PAR, em 1938);
•  Santos 6×1 Palmeiras, em 1939.
•  Santos 5×1 São Paulo, em 1940.
•  O primeiro jogo no Pacaembu (Santos x São Paulo Railway, em 1940);

JOGOS DA DÉCADA 40:
•  Santos 10×3 Coritiba, em 1941.
•  Santos 5×1 Libertad-PAR, em 1942.
•  Santos 2×0 Flamengo, em 1943.
•  Santos 4×1 Vasco, em 1946.
•  Santos 3×1 Fluminense, em 1947.
•  A Taça das Taças É NOSSA! (Santos x Corinthians, em 1948);
•  Santos 3×2 Corinthians, em 1948.
•  Santos 5×4 Comercial, em 1948.
•  Campeão da Taça Maldita (Santos x São Paulo, em 1948);
•  Santos 4×0 Internacional, em 1949.

JOGOS DA DÉCADA 50:
•  Santos 2×0 Atlético MG, em 1951.
 O primeiro confronto contra um time europeu (Santos x Portsmouth/ING, em 1951);
•  Santos 3×0 Estrela Vermelha-IUG, em 1951;
•  Santos 6×3 Sporting-POR, em 1953;
•  Santos FC 1×1 Gymnasia y Esgrima de La Plata-ARG, em 1954;
 A primeira vitória no Maracanã (Santos x Botafogo, em 1954);
•  Santos 4×1 Corinthians, em 1954/55;
•  Santos FC 3×1 SE Palmeiras, em 1955;
•  A Reconquista (Santos 2 x 1 Taubaté, em 1955/1956);
•  Santos 5×0 Nacional-URU, em 1956;
•  Santos 5×2 Newell’s Old Boys-ARG, em 1956;
•  Santos 4×0 River Plate-ARG, em 1956;
•  Santos 3×2 Benfica-POR, em 1957;
 A virada para o 1º bicampeonato paulista (Santos x São Paulo, em 1957)
 Um confronto extraordinário (Santos x Palmeiras, em 1958);
•  Santos 6×1 Corinthians, em 1958.
•  Santos 2×0 Seleção da Bulgária 1959.
•  Santos 3×0 Vasco, em 1959.
•  Santos 4×1 Botafogo, em 1959.
•  Santos 7×1 Internazionale-ITÁ, em 1959.
 Aula de futebol ao Campeão Espanhol (Santos x Barcelona-ESP, em 1959);
•  Santos FC 4×0 CA Juventus-SP, em 1959;
•  Santos FC 4×1 Grêmio, em 1959;
•  Santos 12×1 Ponte Preta, em 1959;
•  Santos 3×2 Roma, em 1960;
•  Santos 5×3 Stade de Reims-FRA, em 1960;
•  Santos 5×2 Seleção Polonesa, em 1960;
•  Santos 9×1 München 1860, em 1960;
•  Santos 4×1 Racing Paris, em 1960;
•  Santos 6×1 Corinthians, em 1960;
•  Santos 4×2 Eintracht Frankfurt-ALE, em 1960.
•  Santos 2×1 Palmeiras, em 1960.

JOGOS DA DÉCADA 60:
 Santos 3×2 Bayern München-ALE, em 1961.
•  Paris a seus pés (Santos x Benfica, em 1961);
•  Os onze mágicos! (Santos x Juventus-ITA, em 1961);
•  Baile na cidade eterna! (Santos x Roma-ITA, em 1961);
•  Santos 1×2 Olympiakos-GRÉ, em 1961.
•  Santos 4×2 Racing-ARG, em 1961.
•  Santos 3×1 Colo Colo-CHI, em 1961.
•  Santos 3×1 Fluminense, em 1961.
•  Santos 7×1 Flamengo, em 1961.
•  Santos 5×1 Corinthians, em 1961.
•  Santos 5×1 Bahia, em 1961.
•  A maior goleada sobre um time argentino (Santos x Racing, em 1962);
•  A maior goleada pela Taça Libertadores (Santos x Cerro, em 1962);
•  Os donos da América (Santos x Peñarol, em 1962);
•  O recital do Santos em Lisboa (Santos x Benfica, em 1962);
•  Santos 5×2 São Paulo, em 1962.
•  Santos 2×1 Seleção da URSS, em 1962.
 O maior jogo já disputado no Brasil (Santos x Botafogo, em 1962);
 Espetáculo no Maracanã (Santos x Botafogo, em 1963);
 A virada em La Bombonera (Santos x Boca Juniors-ARG, em 1963);
•  A espetacular virada (Santos x Milan, em 1963);
•  A grande decisão (Santos x Milan, em 1963);
•  Santos 3×1 Botafogo, em 1964.
•  Santos 4×3 Boca Juniors-ARG, em 1964.
•  Santos 5×1 São Paulo, em 1964.
•  Santos 4×1 Flamengo, em 1964.
•  Santos 11×0 Botafogo/SP, em 1964.
•  Santos 7×4 Corinthians, em 1964.
•  Santos 3×2 Portuguesa, em 1964.
 Maior jogo do Século (Santos x Seleção da Tchecoslováquia, em 1965);
•  Alfajor (Santos x Boca Juniors, em 1965);
•  Santos 4×3 River Plate, em 1965.
•  Santos 4×0 Independiente, em 1965.
•  Santos 5×1 Vasco, em 1965.
•  Santos 4×0 Bangu, em 1966.
•  Santos 4×0 Benfica, em 1966.
•  Santos 4×1 Internazionale, em 1966.
•  Santos FC 5×4 TSV 1860 Munchen, em 1967.
•  Santos 2×1 São Paulo, em 1967.
•  Santos FC 3×1 SE Palmeiras, em 1968.
•  Santos 3×0 Palmeiras, em 1968.
•  Santos 2×1 Vasco, em 1968.
•  Recital sem o Rei! (Santos 3×2 Racing-ARG, em 1968)
•  Santos 9×2 Bahia, em 1968.
•  Santos 1×0 Internazionale-ARG, em 1968/69.
 O milésimo gol do Rei (Santos x Vasco, em 1969);

JOGOS DA DÉCADA 70
•  Santos x Combinado Olympique/Saint Ettiénne, em 1971.
•  Santos 3×0 Boca Juniors-ARG, em 1971.
•  Santos 3×2 Cagliari, em 1972.
•  Santos 4×0 Corinthians, em 1972.
•  O último título do Rei (Santos x Portuguesa, em 1973)
•  Santos 5×0 Seleção Chilena, em 1973.
•  O Último Tango (Santos FC 4×0 CA Huracán-ARG, em 1973)
•  Um pedido ao Rei (Santos x Botafogo, em 1974)
•  Santos 4×0 Palmeiras, em 1974.
•  Santos FC 2×0 AA Ponte Preta 1974.
•  Santos FC 2×1 São Paulo FC 1975.
•  Santos FC 2×0 CA River Plate (ARG) 1977.
•  Santos FC 1×0 AA Ponte Preta 1978.
•  A consagração dos Meninos da Vila (Santos x São Paulo, em 1978)

JOGOS DA DÉCADA 80
•  Santos 2×1 Milan-ITÁ, em 1981
•  Santos 3×0 Feynoord-HOL, em 1981
•  Prometeu e cumpriu (Santos 6 x 1 Palmeiras, em 1982);
•  Eliminando o time base da Seleção Brasileira (Santos x Atlético MG, em 1983);
•  Santos 2×1 Nacional-URU, em 1983.
•  Santos 3×0 Peñarol-URU, em 1983.
 Vitória e título contra a Democracia Corinthiana (Santos x Corinthians, em 1984);
 A vitória contra a Seleção do Uruguai (Santos x Seleção do Uruguai, em 1984);
•  Santos FC 1×0 Hamburgo SV-ALE, em 1987.
•  Santos FC 1×0 Olympique Marseille-FRA, em 1987.
•  Santos 4×2 Cerro Porteño-PAR, em 1988.
•  Santos 3×0 São Paulo, em 1988.

JOGOS DA DÉCADA 90:
  Santos FC 4×0 SC Internacional 1992
•  Surge o “matador de gambás” (Santos 3 x 1 Corinthians, em 1992);
•  Santos 4×3 Corinthians, em 1994.
•  Santos 4×1 Grêmio, em 1995.
•  A virada impossível (Santos x Fluminense, em 1995);
•  Santos 2×0 Real Madrid, em 1996.
•  Santos 3×0 Peñarol-URU, em 1996.
  Noite Estrelada (Santos x Flamengo, em 1997);
 A batalha de Rosário (Santos x Rosário Central, em 1998);
•  Santos 4×1 Ajax-HOL, em 1999.
•  Santos 4×2 Flamengo, em 2000.
A fisgada na hora certa (Santos x Palmeiras, em 2000);

JOGOS DA DÉCADA 2000:
 Silêncio no Morumbi (Santos x São Paulo, em 2002);
•  Santos 3×0 Grêmio, em 2002.
 O título brasileiro e as oito pedaladas (Santos x Corinthians, em 2002);
•  Meninos da América (Santos 5×1 América de Cali-COL, em 2003);
•  Santos x Nacional-URU, em 2003.
•  Santos 7×4 EC Bahia 2003.
 Com a mão na taça (Santos x São Caetano, em 2004);
 O jogo do título (Santos x Vasco, em 2004);
 Um show jamais será apagado (Santos x Corinthians, em 2005);
•  Exterminador de clássicos (Santos x Palmeiras, em 2006);

JOGOS DA DÉCADA 2010:
•  Santos x Santo André, em 2010.
 99 anos e o Renascimento na Libertadores (Santos x Cerro Porteño, em 2011);
•  Santos 2×1 Corinthians, em 2011.
 Tricampeão da América (Santos x Peñarol, em 2011)
 Maior jogo do Brasileiro nos pontos corridos (Santos x Flamengo 2011);
 Hat-trick de Neymar e a vaga na final (Santos x São Paulo, em 2012);
•  Santos 2×0 Universidade de Chile, em 2012.