Narciso – 1994-1999/2000-2004

Published On 06/02/2017 | Ex-Atletas
Por Gabriel Santana e Ronaldo Silva
Santos, 06/02/2017

Nome completo – Narciso dos Santos
Período – 1994-1999/2000-2004
Posição – Zagueiro/Volante
Nascimento –  23 de dezembro de 1973, em Neópolis, Sergipe.
Jogos – 265
Gols – 11

Histórico – Ainda na adolescência, Narciso iniciou sua trajetória no futebol no Esporte Clube Alagoas. Permaneceu nas equipes de base do clube alagoana por alguns anos, e profissionalizou-se em 1994, quando já atuava pelo Paraguaçuense-SP.
No mesmo ano, foi contratado pelo time santista, aos 21 anos. Por pouco a negociação não se concretizou, já que alguns empresários queriam o levar para o Palmeiras.
No Santos, Narciso não teve um início fácil, e demorou para se firmar na Vila Belmiro.
Nos primeiros meses de 1997, Narciso enfim conseguiu assegurar sua vaga de titular na zaga santista. Meses depois, com a vinda do técnico Vanderlei Luxemburgo, o alagoano se aventurou como volante, e não largou mais a posição.
Na nova função, foi campeão do Torneio Rio-São Paulo, e da Copa Conmebol, em 1998. Foi o vencedor do prêmio Bola de Prata, da Revista Placar, como melhor volante do Campeonato Brasileiro.
Sempre muito aguerrido dentro de campo, Narciso não levava “desaforo pra casa”, e tornou-se um dos líderes e capitão da equipe.
Mesmo com boas atuações, a torcida santista implicava com Narciso. A implicância chegou a ser tão grande, que ele preferiu ser emprestado ao Flamengo em 1999, para “respirar novos ares”.
A passagem pelo clube carioca não foi como Narciso e esperava. Seu contrato logo foi rescindido pela diretoria, pois queriam seu retorno a zaga. E ele não aceitou.
No mesmo ano, Narciso voltou a Vila Belmiro, afirmando que mesmo sendo uma curta experiência, serviu para o tranquilizar.
No início de 2000, após exames de rotina, Narciso descobriu que sofria de leucemia mielóide. Se afastou dos gramados, e a luta pela vida começou a partir daí. Foram longos três anos e 10 meses de recuperação, até seu retorno aos gramados.
Diante do Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro, no dia 25 de outubro de 2003, Narciso voltou a atuar pelo Santos, diante de muita comoção. Foi aplaudido de pé, por todos que estavam presentes no Estádio Couto Pereira. Por muito pouco, Narciso quase assinalou um gol.
Voltou a ter alguns problemas, e resolveu encerrar a carreira no fim de 2004, aos 31 anos.
Hoje encontra-se totalmente recuperado da Leucemia, e atualmente trabalha como treinador.
Na equipe santista, Narciso foi Vice-Campeão Brasileiro de 1995, Campeão do Torneio Rio-São Paulo de 1997, da Copa Conmebol de 1998 e do Campeonato Brasileiro de 2004.
Foi verdadeiramente um exemplo de guerreiro, tanto dentro como fora de campo.

ESTREIA
24/07/1994 – Santos 4 x 0 Nacional
Gols: Neizinho [2], Marcelinho Paraíba e Cerezo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Público: 985 pagantes
Renda: R$ 4.272
Árbitro: José Aparecido de Oliveira
SFC: Edinho; Índio, Júnior, Maurício Copertino (Narciso) e Silva (Marcelinho Paraíba); Gallo, Cerezo, Carlinhos e Serginho Fraldinha; Neizinho e Demétrius. Técnico: Serginho Chulapa
Nacional: Haroldo; Jerry, Juciano, Pedrinho e Paulo Marques; Edmílson, Zé Carlos, Zeomar e Carmo (Juliano); Roberto e Dinei.
RETORNO AOS GRAMADOS 
25/10/2003 – Coritiba 0 x 4 Santos
Gols: Robinho aos 22min e Léo aos 35min do primeiro tempo; Robinho aos 6min e André Luis aos 23min do segundo tempo.
Local: Estádio Couto Pereira, em Curitiba, Paraná.
Renda: R$ 233.997,50
Público: 22.586
Árbitro: Leonardo Gaciba
SFC: Fábio Costa; Neném (Reginaldo Araújo), André Luis, Pereira e Leo; Paulo Almeida (Daniel), Renato, Elano e Diego (Narciso); Robinho e Fabiano. Técnico: Emerson Leão.
CFC: Fernando; Ceará, Edinho Baiano, Nivaldo e Adriano; Jackson, Williams, Roberto Brum (Helinho) e Djames (Souza); Edu Sales (Lima) e Marcel. Técnico: Paulo Bonamico

• Jogos e gols:
1994 – 13 jogos e 00 gol;
1995 – 47 jogos e 00 gol;
1996 – 41 jogos e 00 gol;
1997 – 63 jogos e 03 gols;
1998 – 57 jogos e 04 gols;
1999 – 39 jogos e 04 gols;
2003 – 03 jogos e 00 gol;
2004 – 02 jogos e 00 gol;
Total – 265 jogos e 11 gols

Fontes e Referências:
Almanaque do Santos FC;
Jornal “A Tribuna de Santos”;
Revista Placar;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *