Nenê – 1943-1954

Published On 19/11/2016 | Ex-Atletas, Ídolos
Por Gabriel Santana e Ronaldo Silva
Santos, 17/06/2016
Atualizado, 19/11/2016

Nascido em Santos, no dia 25 de abril de 1919, Nenê criou uma grande identificação com o Alvinegro, e atuou por mais de 10 anos em Vila Belmiro.
A história de Hermínio Olinto de Carvalho com o time santista, se iniciou no fim de 1942, quando o então técnico do Santos, Ademar Pimenta, foi assistir a final do Torneio amador “Campeão dos Campeões” em Santos. No centro da linha-média de um dos finalistas, a Associação Atlética das Palmeiras, equipe amadora do município, destacou-se Nenê. Sua equipe saiu derrotada, porém, o então jovem foi ovacionado pelo público. Ao final da pelota, o treinador santista não perdeu tempo, e convidou Nenê para treinar no Santos. Prontamente, ele aceitou, e em seu primeiro treino, assinou seu primeiro contrato profissional.
Teve seus primeiros passos no futebol, no esquadrão juvenil do São Lourenço, sempre atuando no centro da intermediaria. Do São Lourenço, passou para o Ilha Porchat, em 1940. Dois anos depois, ingressou na Associação Atlética Palmeiras, clube da primeira divisão de amadores, em Santos.
Suas atuações eletrizavam a torcida alvinegra, e a todos os simpatizantes do esporte das multidões. Era considerado um dos mais perfeitos na sua posição em todo o Brasil. Médio-direito na época, hoje seria um lateral-direito de origem.
Ao final das temporadas, sempre estava presente entre os atletas que mais atuaram, e demonstrava uma incrível regularidade nas partidas. Foi sempre um modelo de profissional correto.
nene-3

Por toda sua categoria e elegância em campo, a imprensa cogitou e pressionou a CBD, a conferir o Prêmio Belfort Duarte a Nenê! (Foto/Arquivo Santos FC)

Atuou por 394 vezes com a camisa do Santos, e é até hoje o 19º jogador que mais entrou em campo pelo time de Vila Belmiro. Permaneceu até 1954, quando já beirava os 35 anos.
Perito eletricista, possuía uma oficina, e continuou exercendo a profissão ao abandonar a carreira futebolística.
Mesmo encerrando sua carreira, o carinho pelo Santos permaneceu, e ele foi um dos incentivadores de seu filho, também conhecido por Nenê, a também virar jogador, e a também atuar pelo Santos, em 1960-1963.
Foi morar ao lado de Deus no dia 03 de junho de 1994, aos 75 anos.

• Jogos e gols:

1943 – 19 jogos e 00 gol;
1944 – 25 jogos e 00 gol;
1945 – 33 jogos e 00 gol;
1946 – 33 jogos e 00 gol;
1947 – 34 jogos e 00 gol;
1948 – 33 jogos e 00 gol;
1949 – 36 jogos e 00 gol;
1950 – 34 jogos e 00 gol;
1951 – 50 jogos e 00 gol;
1952 – 56 jogos e 01 gol;
1953 – 39 jogos e 00 gol;
1954 – 02 jogos e 00 gol;
Total: 394 jogos e 01 gol

Fichas Técnicas:
ESTREIA
04/04/1943 – Palmeiras 1 x 0 Santos
Gols: Minguinho.
Local: Estádio Parque Antártica, em São Paulo.
Competição: Campeonato Paulista
Renda: Cr$ 71.123,00
Público: em média 15.300
Árbitro: Tijolo
SFC: Odair; Ayala e Ari Silva; Figueira, Nenê e Antero; Cláudio, Antoninho, Gradim, Guilherme e Ruy. Técnico: Ademar Pimenta
SEP: Oberdã; Celestino e Junqueira; Brandão, Og e Gengo; Peixe, Lima, Cabeção, Viladonega e Minguinho. Técnico: Del Debbio
ÚNICO GOL
28/09/1952 – Santos 2 x 3 Corinthians
Gols: Carlyle e Nenê – Luizinho, Carbone e Colombo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Campeonato Paulista
Renda: Cr$ 396.960,00 (Recorde de renda em Santos)
Público: 14.015 + cerca de 10.000 sócios (24.015 total)
Árbitro: William Henry Darlington
SFC: Manga; Hélvio e Lafaiete; Nenê, Formiga e Pascoal; Cento e Nove, Zito, Carlyle, Antoninho e Tite. Técnico: Aymoré Moreira
SCCP: Gilmar; Homero e Olavo; Sula, Goiano e Julião; Cláudio, Luisinho, Baltazar, Carbone e Colombo. Técnico: Rato
ULTIMA PARTIDA
16/01/1954 – CA Ipiranga 1 x 1 Santos
Gols: Hugo – Chuna
Local: Estádio Parque Antártica, em São Paulo.
Competição: Campeonato Paulista de 1953
Renda: Cr$r8.640,00
Árbitro: Antonio Muzitano
SFC: Barbozinha; Hélvio e Cassio; Nenê, Formiga e Pascoal; Boca, Walter, Hugo, Vasconcelos e Del Vecchio. Técnico: Antoninho
CAI: Valentino; Belmiro e Mario; Gonçalves, Waldemar e Reinaldo; Zé Carlos, Elzo, Runtzer, Chuna e Paulo.

Fontes e Referências:
Centro de Memória e Estatísticas do Santos FC;
Almanaque do Santos FC;
Jornal Mundo Esportivo;

2 Responses to Nenê – 1943-1954

  1. Pingback: Acervo Histórico do Santos FC | As famílias do Santos Futebol Clube!

  2. Pingback: Acervo Histórico do Santos FC | Nenê – 1960-1963

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *