Nenê, Formiga e Zito, e a “trinca” perfeita

Published On 23/02/2017 | Artigos
Por Gabriel Santana
Santos, 23/02/2017

O dia 30 de junho de 1952, já era abençoado por si só, pela estreia do eterno Zito.
Mas ele nos proporcionou mais um evento de encher nossos olhos. A fusão perfeita de um meio de campo com três atletas e seres humanos dedicados, íntegros, extraordinários e categóricos. Na estreia do nosso Gerente, ele teve ao seu lado, Nenê e Formiga.
Nenê era o único experiente entre o trio. Já fazia parte da equipe santista de 1943. Era um exemplo a ser seguido dentro e fora de campo. Já estava no fim de sua carreira, porém, ainda mantinha a boa forma. Permaneceu defendendo as cores do Santos durante 12 anos.
Formiga havia chego pouco antes de Zito, em 1950, aos 20 anos. Aos poucos estava se firmando como titular da equipe.
No dia da estreia, Zito tinha 19 anos, Formiga 21, e Nenê, esbanjando experiência, 33 anos.
Juntos mo meio-campo santista, na famosa “linha média do meio-de-campo”, os três atuaram em 25 partidas, durante 1952-1953. Estiveram em outras ocasiões juntos no gramado, porém, ora com Zito como zagueiro, ora como um meia mais ofensivo. Na época, atuava-se com um médio-central, médio-direito e um médio-esquerdo.
O encontro desses três personagens dentro de campo, significa muito para a história alvinegra, e nem tanto pelos números. Das 25 partidas, venceram 13, empataram 2 e foram derrotados 10 vezes. Os números são razoáveis, como pode-se analisar. Mas o que estamos levando em questão nesse texto, é a representatividade.
Os três atletas eram apaixonados pelo Santos. Eram íntegros, exemplos dentro e fora de campo. Nunca deixaram sua ligação com o time da Vila. Mesmo depois de aposentados, os três continuaram trabalhando em prol do clube.  Nenê foi treinador das categorias de base, Formiga e Zito, além de treinadores do profissional, exerceram diversos cargos dentro da diretoria ao longo dos anos.
Como atletas, passaram praticamente a carreira toda no Santos. Nenê e Zito, depois que chegaram na Vila, não saíram mais. Formiga só saiu para o Palmeiras em um curto período, por interesse do próprio Santos, porém, quando retornou, também não saiu mais. Os números comprovam a lealdade: Zito atuou em 727 partidas, Formiga em 409, e Nenê em 394. Estão entre os 20 maiores jogadores que mais atuaram pelo Santos.
Nenê provavelmente, depositou em Formiga e Zito, o carinho que tinha com o Alvinegro da Vila. Já em fim de carreira, viu dois dos maiores jogadores do Santos iniciarem. Para Nenê, restava sua experiência, e o legado de gratidão e exemplo como atleta e pessoa.
Os tempos são outros, sabemos, mas hoje em dia é raro ver atletas como Nenê, Formiga e Zito.
Sorte de quem os viu em campo, sorte de quem teve o privilégio de acompanhar as suas histórias com o Alvinegro da Vila Belmiro.

Fontes e Referências:
Centro de Memória e Estatística do Santos FC;
Almanaque do Santos FC;
Assophis (Associação dos Pesquisadores e Historiadores do Santos FC);

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *