O começo da supremacia!

Published On 08/05/2014 | A História das conquistas
Por Kadw Gommes
Santos, 08/05/2014

O ano de 1960 foi bastante agitado e movimentado, com o Santos traçando grandes excursões internacionais. Primeiro pela América do Sul, no começo do ano: foram 10 jogos, 6 vitórias, 2 empates e 2 derrotas. Em maio, após o Torneio Rio-SP, o Alvinegro parte para a Europa, fazendo 18 partidas em 45 dias, venceu 14 jogos e perdeu apenas 3, conquistou o Troféu Giallorosso e o Torneio de Paris. Na volta ao Brasil, a grande meta do clube era voltar a ser Campeão Paulista, e assegurar uma vaga para o Campeonato Brasileiro no ano seguinte.
Para o estadual, em 1960, o Santos já contava com um grande elenco, foram integrados ao time o meia e ídolo Mengálvio, assim como o atacante Tite, que voltava de rápida passagem pelo Corinthians, e provavelmente a maior dupla de zaga que atuou no clube: Calvet, que chegou do Grêmio e Mauro Ramos, trazido do São Paulo. A competição teve início em 11 de junho daquele ano, mas devido à excursão que realizou em solo europeu, o Peixe somente estreou em 11/06, mais de um mês após os rivais.
Logo na primeira partida, apesar de todo o cansaço que a viagem e a maratona de jogos no exterior pudessem causar, o Santos goleou por 6 a 3 a Ponte Preta, na Vila Belmiro, com facilidade, mostrando seu poderio ofensivo. E assim se sucedeu ao longo do Campeonato, com uma grande campanha. O Santos que começava sua supremacia estadual era muito superior aos adversários, tinha um grande time e dificilmente era derrotado.
No primeiro turno, além do time de Campinas, o Jabaquara também sofreu uma dura goleada, por 8 a 3 na Vila. Confirmando sua linha ofensiva poderosa, o Santos venceu o Botafogo-RP (5 a 1), Noroeste (4 a 1), Taubaté (5 a 1) e Juventus (5 a 2), todos estes, vítimas de placares elásticos. Nos clássicos, o SFC se manteve invicto, com destaque para a vitória por 3 a 1, diante do Palmeiras. Em contrapartida, depois de impor tantas goleadas, a Ferroviária vingou as outras equipes, e surpreendentemente, goleou o Santos por 4 a 0.  No primeiro turno, foram 17 jogos, com 08 vitórias, 06 empates e apenas 03 derrotas.
Já no segundo turno, depois de alguns tropeços, o Santos teve uma reta final impecável, foram 11 vitorias consecutivas e não deu chances aos rivais diretos na disputa: Portuguesa, Palmeiras e Corinthians. O alvinegro continuou aplicando goleadas nos adversários, a maior foi diante do América, por 7×0, no dia 16 de outubro. Em uma semana, o SFC goleou duas equipes corinthianas. A primeira vítima foi o Corinthians de Presidente Prudente, que foi goleado duramente por 5×0. Exatamente uma semana depois, Corinthians (esse o do parque São Jorge) e Santos, chegarem empatados em 42 pontos, para o clássico de 30 de novembro, no Pacaembu. O Santos impiedosamente goleou o arquirrival por 6 a 1, praticamente eliminando-o da disputa, vez que o Corinthians só tinha mais um jogo a fazer. Com a vitória por 6 a 1 diante do Taubaté, o Santos chegou a 46 pontos e eliminou o Corinthians da disputa.
Quando o Santos enfrentou a ferroviária goleando por 5 a 0, eliminou as chances de título do Palmeiras, que tinha 40 pontos e sonhava em igualar o Alvinegro da Vila e forçar o desempate, mais tropeçou diante do Corinthians PP. Assim só a forte Portuguesa de Desportos com 46 pontos e que derrotara dramaticamente o São Paulo por 4 a 3, ainda disputava o título com o Santos. Porém a Lusa acabou goleada por 5 a 2 pelo Noroeste estacionando nos 46 pontos.
Em 17 de dezembro, o Santos recebeu na Vila Belmiro o mesmo Palmeiras, que lhe havia tomado o título do ano anterior. Bastava-lhe um empate para o Santos conquistar o título. Quando a bola rolou, Zito pôs o Santos em vantagem no primeiro minuto de jogo, porém o Alviverde empataria no final do 1º tempo. No 2º tempo, coube ao artilheiro do campeonato, Pelé, assinalar o seu 32º tento no torneio e assegurou o título. O Santos Futebol Clube conquistava seu quinto título do Campeonato Paulista.
Assim como nos anos anteriores, disputado no sistema de pontos corridos, com 18 equipes que se enfrentaram todas entre si em turno e returno, a competição presenteou o clube de melhor desempenho, o Santos, que em 34 Jogos, obteve 22 vitórias, 06 empates e 06 derrotas. Com sua linha ofensiva poderosa com Dorval, Coutinho, Pelé e Pepe (Ney e Sormani também se destacaram), pela quarta vez, o Alvinegro estabeleceu 100 gols, com saldo de 56 pró.

Fontes/Referencias: Livro Time dos Sonhos (Odir Cunha); Jornal Folha de SP; Almanaque do SFC (Guilherme Nascimento); Acervo RSSSF.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *