O Campeão de Tudo!

Published On 03/05/2015 | A História das conquistas
Por Kadw Gommes
Santos, 03/05/2015
Atualizado, 19/05/2016

Mesmo com a sumptuosidade de jogos e competições a temporada de 1968 foi uma das mais vencedoras da história do Santos FC. Após passar por uma reformulação no elenco a partir de 1966, e conseguir no ano seguinte ser Campeão Paulista de 1967, o Peixe conquistou todos os títulos possíveis referentes aquele ano, tanto oficiais como amistosos. No Campeonato Paulista, disputado em turno e returno por pontos corridos, a campanha de 26 jogos, com 22 vitórias, 01 empates e apenas 03 derrotas, com 71 gols marcados e apenas 22 sofridos, foi eminente de grandes apresentações de um esquadrão magnifico que a cada jogo não apenas goleava os adversários, mais também dava espetáculos.
Antes de começar a disputar o Campeonato Paulista/68, o SFC participou do torneio Octogonal do Chile (antes chamada Hexagonal), que gozava de grade prestigio na época. Após o termino da Competição no Chile, onde o Peixe terminou como campeão, a equipe encaminha-se para sua estreia no Paulista, que ocorre dia 8 de fevereiro com vitória mínima por 1 a 0 diante do Guarani, na Vila Belmiro. Durante o Campeonato estadual, o Glorioso apresentava a cada jogo uma grande exibição, postulando seu brilhante futebol com duros golpes aos adversários, como na segunda partida contra a Port. Santista, onde o SFC aplica um sensacional 6 a 0 com três gols de Toninho, um gol de Negreiros, um de Edu e outro de Douglas. Na sequência continuou estabelecendo boas vitorias e goleadas, como na partida diante do forte Ferroviária de Araraquara (por 4 a 1), que naquele campeonato conseguiu uma boa campanha.
Na partida seguinte diante do Corinthians, uma marca histórica no clássico estava em jogo: a cerca de 11 anos o SFC não perdia para o rival no Campeonato Paulista. Além disso, o time do parque São Jorge a 15 anos não vencia o estadual, mesmo fazendo grandes esforços para mudar ambos os cenários. Assim, vivia-se naquela época no Corinthians dois tabus traumáticos e desesperadores. Mais que, para eles a tristeza de não vencer o Santos terminaria naquele jogo, vencido por 2 a 0 sob o comando do ex-técnico do Peixe: Lula, conhecedor pleno do time do santista e que de certa forma ajudou para que aquele tabu ocorresse.
Após o clássico alvinegro, o Santos seguiu vencendo, dando espetáculo, com um futebol categórico, goleando seus adversários e conseguindo estabelecer importantes marcas naquela edição, como a sequência de 12 vitorias consecutivos, sendo esta a maior de sua história (ao lado das edições de 1927, 1960 e 1961) em estaduais. Começou com a goleada diante do Botafogo: 5 a 1, com Toninho marcando três gols, sendo um deles após uma jogada espetacular de Kaneco, Negreiros e Pelé também marcaram. Em seguida aplicou 3 a 0 na Portuguesa, com grande atuação de Carlos Alberto Torres. Na partida seguinte um clássico san-são, e o SFC seguiu seu repertorio com um 5 a 2 no São Paulo, em pleno Morumbi, gols de Pelé (2), Carlos Alberto, Kaneco e Douglas. Fechando o primeiro turno com mais duas vitorias, entre elas uma sonora goleada de 8 a 2 no Comercial, com gols de Pelé (2), Carlos Alberto (2), Clodoaldo, Lima, Douglas e Edu. Sendo esta, a maior goleada aplicada pelo Peixe naquele campeonato.
O primeiro turno do Campeonato deixava claro as pretensões de cada time: o Santos seguiu veementemente sua trajetória pela conquista, já o Corinthians era o grande adversário do Peixe e seguia lutando pelo campeonato que poderia tira-lo de uma longa fila. Enquanto o Palmeiras centrava suas forças na Libertadores, tendo que adiar várias partidas no estadual. Já São Paulo e Portuguesa faziam campanhas regulares e acabariam atrás do valente time da Ferroviária. O Alvinegro seguia trabalhando com sua reformulação de equipe, iniciada ainda em 1966 e que prosseguia naquele Paulista. Do elenco santista em 1968, vieram da base os seguintes jogadores: Negreiros, Clodoaldo, Douglas, Kaneco, Oberdã e Edu. Onde todos esses jogadores, foram importantes para o SFC conquistar o Paulista daquele ano e tantos outros títulos.
No returno do certame, o SFC continuou com seu futebol exuberante e sua trajetória de vitórias, que se iniciou com um 2 a 0 no Guarani, com dois gols de jogadores da base: Edu e Douglas. Depois venceu por 1 a 0, gol de Douglas, o clássico com o Palmeiras. Seguiu com vitória na partida seguinte, até finalmente chegar no encontro decisivo contra o Corinthians, seu principal concorrente. Nessa partida, realizada no Morumbi, o Santos venceu e devolveu os 2 a 0 do 1º turno, com gols de Douglas e Pelé. Enquanto os concorrentes ao título acabavam tropeçando nas rodadas, o time de Antoninho Fernandes (técnico santista) não mais perdeu, seguiu invicto e imponente, prosseguiu vencendo todos os seus jogos, até finalmente chegar o importante clássico da saudade.
Em partida realizada no estádio do Parque Antártica, dia 19 de maio,  o esquadrão do Santos FC foi coroado Bicampeão Paulista de 1968, com quatro rodadas de antecedência – fato esse que provocou o “decreto fim” dos campeonatos por pontos corridos e fizeram a cartolagem bolar formatos mirabolantes de competições estaduais para evitar títulos do Peixe e beneficiar clubes que estavam passando por filas, casos de SP e SCCP, nos anos seguintes.O SFC terminou o Campeonato Estadual daquele ano, com o melhor ataque e a melhor defesa da competição, tamanha sincronia e qualidade nos dois setores (ofensivo e defensivo), era a composição de excelentes jogadores de Seleção Brasileira e um senhor zagueiro da Seleção Argentina.
No jogo decisivo com o Palmeiras, o Santos entrou com a seguinte escalação: Cláudio, Carlos Alberto, Ramos Delgado, Joel Camargo e Rildo; Clodoaldo e Lima; Toninho Guerreiro, Douglas, Pelé e Edu (praticamente o mesmo de 1967). Numa partida envolvente e movimentada, em que o Santos ditou seu ritmo e foi sempre melhor, podendo exercer maior vantagem, conseguiu uma vitória de forma contundente por 3 a 1 diante do alviverde e assegurou o título (graças também, a derrota do Corinthians para o Botafogo). O Campeonato então prosseguiu e, como de costume, com o SFC vencendo, nos seus últimos três compromissos. Destaques para uma nova goleada no Comercial por 5 a 0 e os 3 a 1 no São Paulo na última rodada.
Confira toda a campanha, com jogos e fichas técnicas:
http://acervosantosfc.com/campeonato-paulista-1968/

Curiosidade:
O Santos FC Conquistou os seguintes títulos oficiais referentes a temporada de 1968: Recopa Mundial, Supercopa Sul-Americana, Campeonato Brasileiro e o Campeonato Paulista. Conquistou também, na mesma temporada, os seguintes títulos oficiosos: Octogonal do Chile, Taça Amazônia e Torneio Pentagonal de Buenos Aires, além das taças Paul Revere do Banco de Boston e Troféu Dr. Antônio Ermínio de Moraes.
Referencias:
Almanaque do Santos FC, de Guilherme Nascimento;
Jornal Folha de SP;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *