O Rei do Torneio Rio-São Paulo!

Published On 23/06/2015 | A História das conquistas
Por Kadw Gommes
Santos, 23/06/2015
Atualizado, 07/02/2016

Há muito tempo uma competição não conseguia a proeza de realizar tantos sonhos entalados na cabeça do torcedor como fez o rio-são Paulo deste ano. O time santista exibiu um futebol valente e bonito, como não fazia desde que Giovanni foi para o Barcelona. Os mais saudosistas logo alertaram para o fato de que o Peixe é o maior papão de títulos do torneio Rio-São Paulo ao todo, cinco: 1959, 1963, 1964, 1966 e 1997. “O torneio teve qualidade, com jogos apenas entre grandes clubes e ótimas rendas”, comemora o lateral santista Anderson.
Nas quartas de finais, o Santos enfrentou o primeiro grande adversário daquele torneio, a equipe do Vasco da Gama que era, um verdadeiro esquadrão e, naquele ano conquistaria o Campeonato Brasileiro e posteriormente outras conquistas. No primeiro jogo o empate em 2 a 2 conseguido pelo Vasco já aos 40 minutos do 2º tempo, no estádio do Morumbi, deixava o SFC pouco confiante na classificação no RJ. Porém, na partida de volta, no estádio de São Januário o que se viu foi um Santos aguerrido num jogo emocionante até o fim, com o Santos conseguindo a virada e estando na frente do placar por duas vezes, mais cedendo o empate (em 3 a 3) e conseguindo a classificação apenas nos pênaltis.
Nas Semifinais outro esquadrão no caminho, dessa vez o adversário era o Palmeiras da Parmalat que era uma verdadeira máquina de futebol, campeão de praticamente tudo que disputou naquele período. Se o SFC era tecnicamente inferior e não tinha tantos craques como o Alviverde, sobrava garra e vontade naquele Peixe. No primeiro jogo, disputado no Palestra Itália o Santos impôs um 3 a 1 no todo poderoso Palmeiras e conseguiu boa vantagem para o jogo de volta. Em Presidente Prudente pela segunda partida decisiva, o Palmeiras até conseguiu vencer, mais por 1 a 0 e o Santos obteve a classificação para a decisão contra o forte time do Flamengo.
Na decisão o SFC enfrentou mais uma pedreira, o Flamengo de Sávio e Romário, que havia eliminado dois times paulistas: Corinthians (3 a 0 e 2 a 0), e o São Paulo (1 a 0 e 3 a 1). No primeiro jogo da finalíssima, disputada dia 04 de fevereiro, no estádio do Morumbi, o Santos conseguiu apresentar um futebol eficiente, num time mesclado de jovens e veteranos, conseguindo vencer o Flamengo por 2 a 1 obtendo assim, a vantagem de jogar pelo empate no jogo da volta. O começo de jogo foi eletrizante, e o Santos abriu o placar logo aos 6 min com Alessandro, que aproveitou a sobra do chute de Macedo, para empurrar para as redes. Aos 29 min depois de uma bonita jogada de Alexandre no meio de campo, ele acha Alessandro em velocidade, que consegue cruzar para Macedo, o atacante então chuta para o gol escancarado ampliando a vantagem. No finalzinho do jogo, aos 40 minutos, o Flamengo diminui com Marcelo Ribeiro.

10511104_677765005640003_7192246931072754407_n

A partida decisiva no estádio do Maracanã, lotado com 70 mil pessoas, foi disputada dia 6 de fevereiro, e foi uma verdadeira batalha entre paulistas e cariocas, encerrando com chave de ouro o certame Interestadual. O Santos construiu sua conquista pelas laterais do campo, com chutes fortes de fora da área. Um time com estrelas só no calção, mais com um entrosamento perfeito – e sua camisa branca sempre pesada. O SFC conseguiu criar boas oportunidades para abrir a contagem logo no início do jogo, principalmente com Alessandro que infernizava os zagueiros rubro-negros. Mas, apenas saiu na frente aos 30 min do primeiro tempo, com uma cobrança de falta perfeita de Anderson Lima. Logo, porém, os atacantes Romário e Sávio mostraram que podiam fazer a diferença na decisão. Eles participaram dos dois gols com os quais o flamengo virou o jogo, ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, o Santos tomou conta do meio campo, vencendo os rubro-negros – claramente cansados -, na disposição tática e participação ativa pelo domínio no jogo. O resultado de 2 a 1 levaria a decisão para os pênaltis, mas, o grito de campeão que estava entalado na garganta dos santistas a 16 anos, acabaria naquela decisão. O gol santista veio com outro chute de fora da área, de Juari (que entrou no lugar de Rogério Seves) aos 31 min, empatando o jogo em 2 a 2 e dando o título de Pentacampeão do Torneio Rio-São Paulo ao SFC. Uma vitória heroica, frente a um badalado Flamengo e um Maracanã lotado de rubro-negros. A equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo foi a campo, com Zetti; Anderson Lima (Baiano), Sandro, Ronaldão e Rogério Seves (Juari); Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Caíco) e Piá; Macedo e Alessandro.

10626476_677764335640070_8263887459701198304_n

Na competição, os artilheiros do Peixe foram Alessandro (3), Macedo (2), Carlinhos, Vagner, Baiano, Robert, Marcos Assunção, Anderson Lima e Juari, todos com um gol cada. O time praiano jogou seis partidas, venceu duas, empatou três e perdeu uma, marcando 12 gols e sofrendo 10. O time da Vila Belmiro conquistou o Torneio Rio-São Paulo em cinco oportunidades, nos anos de 1959, 1963, 1964, 1966 e 1997. Na última conquista do torneio, o que mais chamou a atenção dos torcedores santistas foi que, durante algumas partidas, os calções usados pelo Peixe eram pretos com várias estrelas brancas.

Fontes e Referencias:
Revista Placar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *