O surgimento dos Meninos antes de 1978

Published On 27/08/2015 | Meninos da Vila

A Base do futebol brasileiro na primeira década de competições oficiais.

A expressão “Meninos da Vila” ficou conhecido e famoso apenas no ano de 1978, através do ex-atleta e então treinador do time Chico Formiga. Ele sempre se referia aos seus jogadores, chamando-os de “meninos” e intensificou-se, com o transcorrer do sucesso das gerações futuras. No entanto, a primeira geração de “Meninos da Vila” na vida do Santos FC ocorreu logo nos anos iniciais de sua história, com a fundação do clube e associados, e em seguida com notoriedade no período, entre 1916 a 1919, surgiram: Arnaldo Silveira, Adolpho Millon e Ary Patusca. Estes ilustres jogadores acarretaram o primeiro grande time da história do Santos FC, ajudaram no crescimento do clube e a concretização como um dos grandes clubes do futebol paulista e por isso, tem enorme importância histórica. O ataque santista formado por Analdo, Millon, Haroldo e Ary Patusca é o primeiro ataque histórico da vida do Santos FC, os destaques são para as convocações a Seleção Brasileira e a artilharia de Ary Patusca nos Campeonatos Paulistas de 1916 e 1919.
Nesse período inicial, ao qual a Seleção Brasileira jogou suas primeiras competições oficiais e conquistou sua primeira conquista oficial e importante, o Sul-Americano em 1919, mesmo com o bairrismo que já existia, o Santos FC foi o clube paulista com mais convocações na primeira década de competições oficiais (Copas Américas no período de 1916 a 1920), disputadas pelo Brasil (Seleção Brasileira), com nove convocações entre 1916 a 1920. Sendo que, em 1919 o Santos foi uma das bases da Seleção Brasileira, com o máximo de selecionados (três jogadores convocados: Arnaldo Silveira, Adolpho Millon e Haroldo Dominguez, na primeira Conquista Continental do país, o Sul-Americano (Copa América) de 1919. Sendo ainda que, dois jogadores titulares na primeira conquista da Seleção Brasileira, eram do Santos FC, um deles Adolpho Millon e o outro Arnaldo Silveira, capitão daquela Seleção na Copa América. Assim nasciam, os “Meninos da Vila”, presentes desde o início na vida do clube.

A geração de Meninos na segunda década de vida do Santos FC.

DNA ofensivo: a maior média de gols do futebol mundial.

Entre 1926 a 1931 o Santos FC formou o primeiro grande Esquadrão de sua história, com meninos da cidade de Santos/SP, sendo que em 1927 esse time atingiu seu ápice, neste ano 12 atletas do Santos foram convocados a Seleção Paulista de futebol. Entre alguns feitos históricos, desse primordial quadro santista, está o fato de ter sido capaz de vencer o que havia de melhor no futebol mundial, derrotando a base do Uruguai Campeão do Mundo, de torna-se na América do Sul o primeiro a marcar 100 gols em uma competição, de ser um “Campeão de Técnica e Disciplina” e de aplicar, estrondosa goleada também na forte Seleção Francesa, que achou que o Santos era a própria Seleção Brasileira, esta que havia disputado a Copa do Mundo de 1930.
Nesse período o Santos FC apresentou o melhor futebol de época, jogando um futebol bonito de maneira extremamente ofensiva, com muita técnica, organização tática e aplicação disciplinar de seus jogadores em todos os jogos. Os grandes nomes do time histórico que obtiveram maior destaque são do meia-atacante Araken Patusca e do centroavante Feitiço. Mais este Esquadrão, que encantou o futebol paulista ao longo do período fez mais: inaugurou estádios, fez grandes jogos na Liga Paulista e grandes jogos Interestaduais e, sobretudo, deixou o legado e a filosofia ao qual o Santos FC representa para o futebol. Essa geração de garotos oriundos da cidade de Santos, revolucionou a forma ofensiva de se jogar no país, com técnica e disciplina! O Santos FC foi o primeiro time da América do Sul a marcar 100 gols em uma competição oficial (Campeonato Paulista de 1927) na história do futebol. Um quadro lendário que ficou conhecido como “Ataque dos 100 gols” (Omar, Camarão, Feitiço, Araken e Evangelista).

Nós éramos um time muito treinado e unido. O Santos daquela época (1926 a 31) foi, talvez, o time mais harmônico do Brasil. Era uma linha tão boa que quando se formava a Seleção Paulista, iam os cinco como titulares. Só não conseguimos chegar ao título porque os times da capital armavam esquemas fora do campo (Araken Patusca).

As Gerações da década de 1960, que contou com Joel Camargo, Clodoaldo, Pelé, Pepe, Edu, Coutinho, entre tantos outros, dispensa qualquer Contexto Histórico.
Campeões de tudo que disputaram mais de uma vez, considerado como o maior time da história do futebol mundial em todos os tempos, embaixador do brasil e base da Seleção Brasileira ao longo de toda a era de ouro, formado sempre com um ataque mágico que bateu todos os recordes possíveis, os dois esquadrões santistas dos anos 60 (entre 1961 a 65 e 1967 a 69/70) que apresentaram grandes craques e gênios, com muitos jogadores revelados na Vila Belmiro, dominaram o futebol mundial.

Pelé, Pepe e Coutinho (3)


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *