Os “históricos” pacotes de reforços do Santos FC!

Published On 27/12/2016 | Informações
Por Gabriel Santana e Ronaldo Silva
Santos, 27/12/2016 

Em uma época de muita especulações sobre contratações, vamos relembrar alguns “pacotes de reforços” que o time santista apresentou ao torcedor nos últimos 15 anos.
No início dos anos 2000, a diretoria tentou investir em nomes conhecidos e de “peso”, como por exemplo: Carlos Germano, Márcio Santos, Rincón, Valdo, Valdir Bigode, Edmundo, Odvan, Oseás, e alguns outros. Grandes contratações, dificilmente foram a solução na vida do time da Vila Belmiro. Tem suas exceções, é verdade. Mas raras.

OS REFORÇOS
2000 – Ao assumir o comando técnico do Santos, o então treinador Carlos Alberto Siva trouxe consigo alguns nomes renomados: Carlos Germano, Márcio Santos, Gálvan, Rincón, Valdo e Valdir Bigode. O lateral-esquerdo Rubens Cardoso, contratado junto ao Guarani, era a única aposta. O meio-campista Robert também retornava a equipe.
No ano seguinte, em 2001, apenas Galván e Rincón permanecerem na equipe. O lateral Rubens Cardoso foi emprestado ao Guarani, e retornaria posteriormente ao time da Vila.
Os experientes Carlos Germano, Márcio Santos, Valdo e Valdir Bigode, não deixaram saudade no torcedor santista.
No 2º semestre, mais um grande reforço: Edmundo. Teve um bom início ao realizar boas partidas, porém, confirmou sua fama de “bad boy”, e se desentendeu com o então presidente Marcelo Teixeira, e teve o contrato rescindido.
Mesmo com todas essas frustrações em 2000, a diretoria acertou em três nomes que seriam ídolos da torcida santista: Fábio Costa, Renato e Léo.
Outras reforços de 2000: Anderson Luís, Júlio César, Pitarelli, Sangaletti e Gaúchinho.
2001 – Novamente o Santos iniciou o ano com uma troca de comando. Saiu Carlos Alberto Parreira, e entrou Geninho. Diferente do ano anterior, o Santos não investiu em nomes renomados. Contratou o lateral-direito Russo, vindo do Sport, o zagueiro Rodrigo Costa, e o jovem Elano, do Guarani.
Já no 2º semestre, tentou mais uma vez nomes de peso: O zagueiro Cléber, aos 32 anos, com passagens por Palmeiras e Cruzeiro e Marcelinho Carioca, além do retorno de Viola. O experiente zagueiro permaneceu na Vila até março de 2002, e foi mais um que não deixou saudades. Já o meia, muito contrariado na Vila Belmiro, se despediu no mesmo ano, em dezembro. Foram contratados também o zagueiro Orestes, e os experientes Valber e Vagner.
2002 – Pelo 3º ano seguido, um novo técnico no início da temporada. Foi a vez de Celso Roth tentar ter um bom começo de ano. Contratou nomes renomados como Odvan e Oseás, além de Esquerdinha, que havia se destacado no São Caetano. A experiente dupla não passou do 2º semestre.
Para o Campeonato Brasileiro, dois nomes desconhecidos: O goleiro Júlio Sérgio, O lateral-direito Maurinho e o atacante Alberto. Caíram como uma luva, e foram cruciais no título inesquecível.
Outros reforços de 2002: Os zagueiros Bernardi e Marcão, o volante Alexandre e os atacantes Thiago e Fabiano Souza.

Oséas e Odvan não se deram bem na Vila Belmiro. (Foto/Arquivo Santos FC)

2003 – Com praticamente toda base mantida de 2002, o Santos trouxe poucos reforços no início do ano: o nosso atual capitão, Ricardo Oliveira, o meia Nenê (atualmente no Vasco), Fabiano, os laterais-direito Reginaldo Araújo e Neném, e Rubens Cardoso (retornando de empréstimo).
Todos tiveram um bom ano na equipe santista, e até mesmo por isso, não ficaram para 2004, devido a propostas mais vantajosas.
No 2º semestre, reforços desconhecidos: O volante Daniel Paulista (atual técnico do Sport) e os atacantes Val Baiano e Marcelo Peabiru.
2004 – Diferente do ano anterior, em 2004 o Santos investiu mais em contratações. Trouxe nos primeiros anos da temporada: o goleiro Doni (em troca envolvendo Fábio Costa), o também goleiro Mauro, os laterais-direitos Paulo César e Marco Aurélio, o zagueiro Alcides, os volantes Preto Casagrande e Claiton, o meio-campista Lopes, ex-Palmeiras, e os atacantes Róbson, o Robgol, e Basílio.
Mauro, Paulo César, Preto Casagrande e Basílio foram os que chegaram até o final da temporada, e todos foram importantes na conquista do título brasileiro. Destaque para o Talismã Basílio, que criou grande identificação com a torcida.
Com a vinda do técnico Vanderlei Luxemburgo, no 2º semestre, mais reforços: o goleiro Tápia, os zagueiro Ávalos e o experiente Antônio Carlos, o lateral-esquerdo Márcio Careca, o lateral-direito Flávio, os volantes Fabinho, Lello e Bóvio e o meio-campista Marcinho. Além destes, destaque para o renomado meio-campista Ricardinho, o experiente volante Zé Elias e o atacante Deivid, que retornava à Vila após fazer sucesso no Corinthians e Cruzeiro.
2005 – Em 2005, sob o comando técnico de Osvaldo de Oliveira, vieram as contratações de Fábio Baiano, Evando, Tcheco, Henao e Fernando Diniz. O goleiro colombiano Henao, foi a grande sensação do início do ano.
No 2º semestre, o impactante retorno do ídolo Giovanni, e os reforços do renomado Luizão e do lateral Kléber. Além deles, foram contratados também: os zagueiros Luis Alberto e Altair, os volantes Heleno, Gavião, Elton e Wendel, os meio-campistas Luciano Henrique, Danilinho e Léo Lima e os atacantes Cláudio Pitbull, Diego, Frontini e Fabiano.
O centroavante Luizão atuou em poucas partidas, e foi dispensado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo no início de 2006. Giovanni e Cláudio Pitbull tiveram o mesmo caminho.
2006 – Vanderlei Luxemburgo retornava a Vila Belmiro pela 3ª vez, e com ele novamente, os diversos reforços: os goleiros Fábio Costa e Roger, o lateral-direito Neto, os zagueiros Manzur, Jardel e Ronaldo Guiaro, os volantes Fabinho e Maldonado, os meio-campistas Rodrigo Tabata, Magnum e Cléber Santana, e os atacantes Jonas, Gilmar, Galvão e Reinaldo. Todos no começo do ano. Talvez o início de ano com mais reforços da história santista.
Para o Campeonato Brasileiro, mais reforços: o lateral Dênis, o volante André Luiz, os meio-campistas André “Beleza”, Fabinho “Foguinho” e o experiente Zé Roberto, que havia acabado retornar da Copa do Mundo, e os atacantes Leandro “Diferenciado”, De Nigris, Rodrigo Tiuí e Wellington Paulista.
Muitas contratações foram questionadas, principalmente pela parceria que o técnico santista tinha com a equipe do Iraty-PR. Boa parte dos atletas eram vinculados ao clube paranaense.
Ao todo, foram 24 reforços ao longo do ano. Com certeza a temporada mais reforçada da história do Santos.

O goleiro Fábio Costa retornava a Vila Belmiro, e o goleiro Roger, era contratado após longos anos no São Paulo! (Foto/Gazeta Esportiva)

2007 – Em 2007 poucas contratações, comparado ao ano anterior: O retorno do zagueiro Antônio Carlos, o também zagueiro Adaílton, o lateral-direito Pedro, o volante Rodrigo Souto, e o experiente meio-campista Pedrinho.
No 2º semestre, a melhor contratação do ano: Kléber Pereira. Além do meio-campista Vitor Júnior, do volante Adoniran, do atacante Marcos Aurélio, do lateral-direito Alessandro e do retorno do lateral Baiano. O sérvio Petkovic foi a contratação mais impactante, porém, sem resultados.
Fora Kléber Pereira, Pedrinho também teve uma boa temporada na equipe santista.
2008 – Com pouco dinheiro em caixa, o time santista pouco se reforçou no início de 2008. A contratação mais impactante foi do colombiano Molina, que criou grande identificação com o torcedor do Santos. Além dele, vieram o zagueiro Betão, que havia acabado de ser rebaixado com o Corinthians, em 2007, o também zagueiro Evaldo, o volante Marcinho Guerreiro, os meio-campistas Luiz Henrique e Quiñonez e os atacantes Trípodi e Sebastián Pinto.
Para o Campeonato Brasileiro, com o time tendo uma má campanha, os reforços foram demasiados. Foram contratados os zagueiros Fabão e Fabiano Eller, o goleiro Douglas, os laterais Apodi, Fabiano, Fábio Santos e Pará, os volantes Roberto Brum, Wendell, Adoniram e Bida, os meio-campistas Michael e Robson (Robinho) e os atacantes Cuevas, Reginaldo, Maikon Leite e Lima.

O colombiano Molina teve boa passagem na Vila Belmiro. Já Quiñonez, ficou conhecido pelo “gol salvador”. (Foto/Arquivo Santos FC)

2009 – No início de 2009, novidades que chamaram a atenção do torcedor: A principal contratação foi o retorno do ídolo Léo, além das vindas do experiente atacante Roni, dos meio-campistas Madson e Lúcio Flavio, e do atacante equatoriano Bolaños. Além deles, foram contratados com menos alarde o zagueiro Paulo Henrique Rodrigues, o volante Germano, o lateral-esquerdo Triguinho, o lateral-direito Luizinho.
Para a segunda metade do ano, mais reforços: O experiente goleiro Sérgio, que não chegou a atuar, Os laterais Wagner Diniz e George Lucas, os zagueiros Astorga, Edu Dracena e Eli Sabiá, o renomado volante Emerson, com passagem recente pela Seleção Brasileira, o volante Rodrigo Mancha e os atacantes Jean, Felipe Azevedo e Gil (não confundir com o Gil ex-Corinthians).
2010 – Na temporada de 2010, o Santos investiu em reforços com pouco custo ou com nenhum custo: Os zagueiros Bruno Rodrigo, Bruno Aguiar, Luciano Castán e Durval, o lateral-direito Maranhão e o lateral-esquerdo Alex Sandro, os volantes Rodriguinho, Rodrigo Possebon e Arouca, os meio campistas- Marquinhos e Zezinho, e os atacantes Zé Eduardo e Marcel. Os mais aguardados pela torcida: Os retornos dos ídolos Robinho e Giovanni.
No 2º semestre, os destaques foram as contratações do badalado Keirrison e do lateral-direito Danilo, que em 2011 seria um dos principais nomes na campanha do Tricampeonato da Taça Libertadores e dois desconhecidos, o meio-campista Vitor Hugo e o atacante Moisés.
2011 – Mais um retorno de ídolo para alegrar a torcida santista: A volta de Elano. Foram contratados também: O lateral-direito Jonathan, o goleiro Aranha, o volante Charles, o atacante Diogo, além da volta de empréstimo de Maikon Leite.
No 2º semestre, foram contratados: Os defensores Éder Lima e Leandro Silva, os volantes Henrique e Ibson, o meio-campista Roger Gaúcho, além dos atacantes Borges, Richelly, Renteria e Alan Kardec.
2012 – Para o ano do Centenário do Santos, criou-se grande expectativa em relação as reforços. No início do ano, vieram 4 novos jogadores: O lateral uruguaio Fucile, o experiente lateral-esquerdo Juan, o volante Gerson Magrão e o meio-campista Bernardo.
Para o 2º semestre, mais contratações: Os laterais-direitos Bruno Peres e Rafael Galhardo, os zagueiros Éwerton Páscoa e David Braz, os meio-campistas Patito Rodrigues e João Pedro, além dos atacantes Miralles e Bill.
2013 – Um amistoso no início do ano diante do Barueri, para a apresentação dos reforços: O zagueiro Neto, o lateral Guilherme Santos, os volantes Renê Júnior e Marcos Assunção, e os meio-campistas Cícero e Montillo. Destaque para o retorno do volante Marcos Assunção, após longos anos, e a contratação que gerou mais expectativa, do argentino Montillo.
Meses depois, foram contratados também: Os laterais Cicinho e Mena, o volante Renato Abreu, o meio-campista Pinga, e os atacantes Thiago Ribeiro, Willian José, Everton Costa e Henrique.
2014 – A contratação mais cara da história do Santos, ocorreu em 2014: O atacante Leandro Damião, que não rendeu bons frutos a Vila Belmiro. Além do centroavante, foram contratados o lateral-direito Victor Ferraz, o volante Souza, o zagueiro Bruno Uvini, o meio-campista Lucas Lima e o atacante Rildo.
Destaque para os retornos de dois ídolos santistas: O volante Renato e Robinho.
2015 – Com pouco dinheiro em caixa, o Alvinegro investiu em contratações ou por empréstimo, ou em jogadores em fim de contratado. Destaque para o retorno de Elano, iniciando sua 3ª passagem pelo clube, e de Ricardo Oliveira. Foram contratados também: O lateral Chiquinho, os zagueiros Leonardo e Werley, o goleiro Vanderlei, o volante Valência, os meio-campistas Marquinhos, Rafael Longuine e Marquinhos Gabriel, e os atacantes Neto Berola, Leandro e Nílson.

Fontes e Referências:
Centro de Memória e Estatística do Santos FC;
Almanaque do Santos FC;



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *