Pioneiro triunfo sobre Campeões Nacionais (1929/1930/1938)

Published On 11/04/2016 | Memória Santista
Por Kadw Gommes
Santos, 11/04/2016

Engana-se quem pensa que o Santos FC passou a construir uma história internacional somente nas décadas de 1950 e 1960. Seu passado valoroso demonstra que, já no amadorismo e, nas primeiras décadas do profissionalismo, o clube começou a registrar belíssimas vitorias contra adversários afamados e de respaldo na América do Sul. Nesse ínterim, sucedeu-se até mesmo êxitos contra Seleções que disputaram Copas do Mundo.
É importante entender a época abordada (1929-1942). Por falta de uma competição internacional, jogos entre clubes de países diferentes, que já possuíam alguma história no futebol, davam um enorme prestigio e definiam a força dos times a nível continental ou mesmo global. Isso, claro, quando os adversários em questão eram campeões nacionais de seus respectivos países, formando um conjunto de craques que, muitas vezes, são bases que enumeravam selecionados nacionais.
Os primeiros Traços Internacionais do Santos FC começaram pra valer em 1929. Embora feito alguns jogos em 1917/18, com notícias de grande agitação na cidade, não tiveram progressão. Somente a partir do final da década de 1920, os cartolas santistas passaram a organizar eventos desse porte ao longo dos anos, que paravam até mesmo o comercio da cidade e vitórias ou derrotas condicionavam a imagem da equipe em termos de qualidade. Em 1929, como um grande anfitrião, o SFC alcançou sua primeira vitória contra uma equipe estrangeira. O adversário foi o Deportivo Barracas, clube da Argentina, eles conquistariam o campeonato nacional em 1932.
Tamanho foi o sucesso exercido pelo evento, que no mesmo ano (1929) organizou-se uma nova partida em modelo similar, desta vez, porém, contra um oponente ainda mais pesado, com fama na América do Sul. Trata-se do Rampla Juniors/URU, esquadrão Campeonato Uruguaio em 1927 e atual vice-campeão, tinha no plantel atletas regularmente vestindo a camisa da seleção celeste. É valido ressaltar: os uruguaios nessa época eram tidos como os melhores do mundo.
Nesse período a delegação do Rampla fazia uma longa excursão na América do Sul, entre alguns êxitos, venceu o Palestra Itália (Palmeiras) por 2 a 0, no Parque Antártica. Procede-se então em 27 de maio, enorme concorrência ao campo de Vila Belmiro, descreveu o jornal local: “Palmas e vivas de todos os lados. As casas que ficam fronteiras ao campo do Santos têm gente até no telhado. As janelas estão apinhadas. A entrada é franca. ” Numa partida com intensa luta, deferiu brilhante atuação santista sob todos os aspectos na estupenda vitória de 5 a 0 sobre o Ramplas Jrs.
• Ficha Técnica:
27/06/1929 – Santos 5 x 0 Rampla Juniors/URU
Gols: Feitiço aos 3min e Siriri aos 33min do primeiro tempo; Araken aos 12min e aos 38min e Feitiço aos 26min do segundo tempo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Amistoso
Árbitro: Fernando Reis
Santos: Athiê; Aristides e David; Osvaldo, Júlio e Alfredo; Siriri, Camarão, Feitiço, Araken e Evangelista.
Rampla Juniors: Soto; Aguirre e Vidal; Martinez, Rometo e Magallanes; Labraga, Haeberly, Duhagon e Bidigain.
Para o ano de 1930, são marcados no calendário alvinegro quatro cortejos, ao qual o SFC se manteve invicto. Triunfou diante do Atlético Tucuman/ARG (4 a 1), Huracán (4 a 1), Seleção da França (6 a 1) e empatou com a Seleção dos EUA (3 a 3). Dessas partidas, o êxito mais importante ocorreu contra os franceses, que chegaram a alcunhar o Santos de Seleção Brasileira. A grande façanha pioneira, contudo, ocorre diante do argentino Huracán.
Em março de 1930, o Santos FC torna-se o primeiro clube brasileiro a triunfar diante de um campeão argentino e uruguaio na história. O Huracán, na época não era apenas um dos grandes clubes sul-americanos, era um dos maiores campeões nacionais com o Tetracampeonato Argentino (1921/22/25/28) no currículo. Mostrando sua força, o Santos goleou a equipe argentina com todos os méritos.
• Ficha Técnica:
24/07/1930 – Santos 4 x 1 Huracan/ARG
Gols: Omar, Camarão, Feitiço e Mario Seixas – Chiesa
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Amistoso
Árbitro: Eduardo Parinello
Santos: Athiê; Aristides e Meira; Osvaldo, Roberto e Alfredo; Omar, Camarão, Feitiço, Mario Seixas e Evangelista.
Técnico: Platero
Huracán: Molteni; Settis e Pratto; Amadeo, Danil e Echevarria; Carricabery, Esposito, Ferreyra, Chiesa e D’Alessandro.
Se na década de 1920, o clube tornou-se o primeiro a bater um campeão Uruguaio (Rampla Juniors, 1929) e um Campeão Argentino (Huracán, 1930), em 1938 completou-se uma composição de sucessos sobre clubes de maior respaldo da tríade Sul-Americana (Argentina, Uruguai e Paraguai). O SFC tornou-se o primeiro clube brasileiro a ter em seu histórico internacional triunfos sobre um Campeão Argentino (Huracán/Estudiantes), um Campeão Uruguaio (Rampla Juniors) e um Campeão Paraguaio (Libertad).
Nessa década, o clube jogou cinco partidas de caráter internacional, vencendo 4 (diante de Sud América/URU, Bella Vista/URU, Estudiantes/ARG e o Libertad/PAR) e perdendo apenas 1 (para o Huracán/ARG).
A vitória que possibilitou o feito, ocorreu dia 10 de fevereiro de 1938, foi a primeira vez que o clube enfrentou um time paraguaio. O roteiro seguiu… a Vila Belmiro lotou, a cidade parou, e os torcedores se se mostraram enlouquecidos e vibrantes; com atuação impecável o Santos FC construiu seu pleito em 2×0. Uma vantagem não tão grande, mais o bastante para saborear novo triunfo de gala, dessa vez frente a um time paraguaio.
• Ficha Técnica:
10/02/1938 – Santos 2 x 0 Libertad/PAR
Gols: Mario Pereira e Ruy
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Amistoso
Renda: R 11:000$000
Árbitro: Tomaz Cardoso de Almeida
Santos: Cyro; Neves e Wanderlino (Bompeixe); Figueira, Artigas (Marçal) e Abreu; Sacy, Aurélio, Gradim, Novo (Mario Pereira, depois Ari) e Ruy.
Libertad: Fernandez; Ferreira e Invernazzi; Ayala, M. Ortega e Benegas; Benitez, Caceres, Gustale, Ozório e Bernie.
Em 1942, o clube alcança mais um de seus pioneirismos, novamente numa relevante vitória contra o Campeão Paraguai de 1943, o clube Libertad (por 5×1), tornando-se o primeiro brasileiro a golear um Campeão Argentino (4×1 no Huracán), um Campeão Uruguaio (5×0 no Rampla Junior) e um Campeão Paraguaio. Outros clubes também movimentavam seu calendário com partidas internacionais nessa época. Casos de Fluminense, Vasco, Flamengo, Botafogo, Corinthians e Palmeiras. Porém, não procede em seus históricos, pleitos que envolvam vitórias sobre Campeões da Argentina e Uruguai até março de 1930. E diante de argentinos, uruguaios e paraguaios até fevereiro de 1938. O que dá o pioneirismo de êxitos internacionais sobre campeões ao Santos F.C.
=> Confira como foram os primeiros duelos dos outros clubes grandes do futebol brasileiro contra campeões nacionais.

Fontes e Referências:
Jornal A TRIBUNA;

Centro de Memória e Estatísticas do Santos FC:
Almanaque do Santos FC (Guilherme Nascimento);

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *