Pré-jogo histórico – Santos x Flamengo

Published On 03/08/2016 | Pré-Jogo Histórico
Por Antônio Felipe, 
Santos, 03/08/2016

Nesta quarta-feira, às 21h45, na Arena Pantanal, em Cuiabá, o Santos enfrenta a equipe do Flamengo pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2016. O Peixe atualmente é o vice-líder do certame com 32, enquanto a equipe rubro-negra detém a quinta colocação e soma 29.
O Santos vai a campo com uma equipe cheia de desfalques. Além dos três convocados para a Seleção olímpica, Lucas Lima continua fora e Ricardo Oliveira, com incômodo no joelho, não viajou ao Centro-Oeste. Jean Mota pode ganhar uma vaga na equipe titular, pois Emiliano Vecchio não agradou. Rodrigão deve ser o substituto no ataque. A equipe provável deve contar com Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Zé Carlos; Renatinho, Léo Cittadini, Jean Mota e Vitor Bueno; Copete e Rodrigão.
O mandante do jogo é o Santos. O Peixe havia negociado com investidores um mando de campo em 2015. Porém, o Santos não realizou uma partida no ano passado que seria contra o São Paulo e ficou acertado que mandaria em Cuiabá  a partida contra o Flamengo neste ano.  Fato que acabou como um tiro no pé da equipe santista, pois terá pela frente uma partida de seis pontos em um estádio com muito mais torcedores rivais nas arquibancadas.
Pelo Brasileirão, Santos e Flamengo já se enfrentaram em 66 ocasiões. O Peixe leva uma pequena desvantagem nos números com 22 vitórias, 21 empates e 23 triunfos da equipe do Rio de Janeiro.  A última partida ocorreu no segundo turno do Brasileiro do ano passado,na Vila Belmiro, em partida que terminou empatada por 0x0.
Quem já esteve do lado de cá
Pará (Santos 2008-2012) – O polivalente jogador chegou ao Peixe durante o Campeonato Brasileiro de 2008 após se destacar pelo Santo André. O curinga permaneceu no Peixe até o início de 2012 e se transferiu para o Grêmio. Pará viveu altos e baixos na Vila Belmiro, tem em seu currículo muitos títulos com a camisa do Peixe: três paulistas (2010/2011/2012), uma Copa do Brasil (2010) e a Libertadores (2011). No Santos foram 18 jogos e três gols marcados.
Alan Patrick (Santos 2009-2011) – Revelado na base do Santos, Alan subiu aos profissionais no ano de 2009, quando atuou em algumas ocasiões. Em 2010 era o principal nome da equipe vice-campeã da Copa São Paulo de Juniores. A concorrência no time principal do Santos era muito grande e Alan Patrick teve poucas oportunidades na equipe durante aquele ano. No ano seguinte teve mais chances, principalmente após a grave lesão de Paulo Henrique Lima na primeira final do Campeonato Paulista de 2011. Alan Patrick foi titular na partida decisiva diante do Corinthians e fez um gol importantíssimo pelas quartas de final da Libertadores diante do Once Caldas na Colômbia. O meia deixou o Peixe no final de 2011 após conquistar o Bicampeonato Paulista (2010/2011), a Libertadores em 2011 e a Copa do Brasil de 2010. Pelo Santos totalizou 39 partidas e sete gols marcados.
Leandro Damião (Santos 2014) – Simplesmente a contratação mais cara da história do Santos, Leandro Damião, o “Bigode Grosso” , veio para resolver o problema de gols na Vila Belmiro. No Peixe, porém, os gols minguaram, várias atuações desastrosas e no final de ano o jogador acionou o clube na justiça por vencimentos atrasados.  Pelo Santos, Damião fez 44 jogos e marcou 11 gols.
Diego (Santos 2002-2004) – Revelado na base santista, Diego vestiu a camisa 10 do Peixe com apenas 17 anos e com Robinho formou uma dupla que conquistou o país. O titulo brasileiro em 2002 foi um divisor de águas na história do Santos. Em 2004, o Peixe conquistaria mais um Campeonato Brasileiro e Diego atuaria por algumas partidas no início da competição antes de se transferir para o futebol europeu. Pelo profissional do Santos, Diego fez 133 jogos e marcou 38 gols.
Chiquinho (Santos 2015) – No primeiro semestre de 2015, Chiquinho, que veio do Fluminense, conseguiu a titularidade no Peixe que faturou o Campeonato Paulista. No segundo semestre o jogador teve menos oportunidades após se contundir e demonstrar baixo rendimento. No final do ano trocou o Alvinegro da Vila pelo Flamengo. No total, Chiquinho fez 24 partidas e marcou um gol pelo Peixe.
Goleada na final
Santos e Flamengo decidiram o Brasileirão de 1964 em duas partidas. A primeira foi disputada na cidade de São Paulo, no estádio do Pacaembu. Uma chuva muito forte não impediu que o Peixe se sobressaísse na partida. No final, goleada por 4×1, que deu ao Alvinegro da Vila uma bela vantagem para conquistar o tetracampeonato Brasileiro em pleno Maracanã três dias depois. Abaixo a ficha técnica do confronto no Pacaembu:
Ficha Técnica:
16/12/1964 – Santos 4 x 1 Flamengo
Gols: Pelé [3] e Coutinho; Paulo Choco
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.
Público: 26.897 pagantes
Renda: Cr$ 21.500.000,00
Árbitro: Armando Marques
Santos: Gylmar; Ismael, Modesto, Haroldo e Lima; Zito (Geraldino) e Mengálvio; Toninho, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Flamengo: Marco Aurélio; Murilo, Ditão, Ananias e Paulo Henrique; Carlinhos e Evaristo; Amauri, Airton, Berico (Paulo Choco) e Carlos Alberto. Técnico: Flávio Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *