Pré-jogo histórico – Santos x Palmeiras

Published On 02/12/2015 | Pré-Jogo Histórico
Por Antonio Felipe
Santos, 02/12/2015
Nesta quarta-feira, às 22h, no estádio Palestra Itália, em São Paulo, o Santos enfrenta a equipe do Palmeiras pela segunda final da Copa do Brasil de 2015. No primeiro jogo, disputado na Vila, o Peixe venceu por 1×0 e agora está a um empate do grande título da competição nacional. Nesta quarta-feira, às 22h, no estádio Palestra Itália, em São Paulo, o Santos enfrenta a equipe do Palmeiras pela segunda final da Copa do Brasil de 2015. No primeiro jogo, disputado na Vila, o Peixe venceu por 1×0 e agora está a um empate do grande título da competição nacional.
Depois de poupar os titulares, com exceção do goleiro Vanderlei, no domingo na derrota diante do Vasco pelo Brasileirão, o treinador Dorival Júnior deve mandar a campo o que tem de melhor, ou seja, a mesma equipe que bateu o Palmeiras no estádio Urbano Caldeira. O Santos deve ir a campo com Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Zé Carlos; Thiago Maia, Renato, Lucas Lima e Marquinhos Gabriel; Gabriel e Ricardo Oliveira.
A equipe do Santos deve se manter focada e procurar apenas jogar bola e se esquivar de todos os comentários, provocações e ameaças que vem surgindo nos últimos dias pelo lado alviverde. O árbitro da partida será Heber Roberto Lopes, pivô de muitas polêmicas, mas é algo que o Santos tem que ignorar e lutar “contra tudo e contra todos”.
Santos e Palmeiras se enfrentaram três vezes pela Copa do Brasil. Duas pela semifinal em 1998 e a primeira final ocorrida na semana passada. O Santos agora leva vantagem no confronto com uma vitória e dois empates. Na primeira final, o Alvinegro da Vila venceu por 1×0 com gol do atacante Gabriel. O Santos poderia ter feito ainda mais não fosse tantos gols perdidos, sobretudo, a oportunidade desperdiçada pelo atacante Nilson no último lance do jogo. Ingredientes não faltam para a grande final da Copa do Brasil 2015. O Santos está firme e forte rumo ao bicampeonato!

Quem já esteve do lado de cá
Aranha – O goleiro chegou ao Peixe no início de 2011 e foi reserva de Rafael até a metade de 2013, quando o titular foi jogar no futebol europeu. Aranha teve boa participação na meta santista durante um bom tempo. No fim de 2014 deixou a equipe para defender o rival Palmeiras. O arqueiro conquistou pelo Santos os Paulistas de 2011 e 2012, a Libertadores de 2011 e a Recopa Sulamericana em 2012.
Arouca – Após passagem ruim pelo São Paulo, Arouca chegou ao Santos numa troca com o volante Rodrigo Souto. O negócio foi muito vantajoso para o Peixe, já que Arouca jogou o fino da bola pelo Alvinegro Praiano durante quatro anos. Ao fim de 2014, o volante deixou a equipe santista após acionar o clube na justiça devido a salários atrasados. Tudo isso fez com que gerasse um certo desconforto entre o jogador e a torcida santista.
Zé Roberto – Depois de realizar uma boa Copa do Mundo em 2006, Zé trocou a Europa pelo Santos. Não demorou muito para se destacar com a camisa 10 do Peixe. O problema é que ele chegou já na metade do Campeonato Brasileiro daquele ano e não teve muito tempo para ajudar a equipe a ter uma melhor participação no certame. Em 2007 começou com tudo e de cara conquistou o título paulista pelo Peixe. As grandes atuações de Zé Roberto o levou de volta ao futebol europeu após marcar uma linda trajetória no Santos, onde se tornou ídolo, apesar do pouco tempo.
Robinho – Contratado pelo Peixe em 2008 junto ao Mogi Mirim, veio com o peso do nome de um grande ídolo santista. Então, passou a ser chamado apenas de Róbson. Contudo, em sua primeira passagem que durou até o final de 2009, não vingou. O atleta ainda retornaria ao Santos em 2011, porém, mais uma vez, não conseguiu se firmar e acabou negociado com o Avaí antes mesmo do final do primeiro semestre. Pelo Peixe participou das conquistas do Paulista e Libertadores de 2011.
Show santista no Parque
Na campanha vitoriosa do Torneio Rio-São Paulo de 1997, o Santos enfrentou o Palmeiras nas semifinais. A competição foi disputada no estilo da Copa do Brasil, toda em mata-matas.
O primeiro jogo foi mando do alviverde e o Peixe surpreendeu e abriu o caminho para a classificação com uma vitória pelo placar de 3×1.  Abaixo a ficha técnica do confronto disputado no Parque Antárctica:
28/01/1997 – Palmeiras 1 x 3 Santos
Gols: Baiano aos 43min do primeiro tempo; Djalminha aos 25min, Marcos Assunção (pênalti) aos 43min e Robert aos 47min do segundo tempo.
Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo.
Árbitro: Oscar Roberto Godói (SP)
Público: 10.456 pagantes
Renda: R$ 126.230
Cartão amarelo: Djalminha, Rincón, Robert e Alessandro.
Expulsão: Sandro e Leandro
Palmeiras: Velloso; Cafu, Sandro, Cléber e Júnior; Marquinhos (Rogério), Leandro, Rincón e Djalminha; Viola (Sérgio Soares) e Luizão. Técnico: Márcio Araújo
Santos: Zetti; Baiano (Rogério Seves), Sandro, Ronaldão e Dutra; Marcos Assunção, Vágner, Piá (Marques) e Robert: Macedo (João Fumaça) e Alessandro. Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Relembrar é viver
O primeiro titulo da Copa do Brasil do Peixe em 2010 foi conquistado fora de casa. Após vencer na Vila por 2×0, o Santos levava para o jogo em Salvador diante do Vitória uma boa vantagem. O gol de Edu Dracena ainda no primeiro tempo realçou bem o poder do time santista. Nem a virada conseguida pela equipe baiana ofuscou o brilho do titulo santista que se sagrou campeão da Copa do Brasil pela primeira vez. Abaixo a ficha técnica de mais um confronto histórico:
05/08/2010 – Vitória 2 x 1 Santos
Gols: Edu Dracena aos 44min do primeiro tempo; Wallace aos 12min e Júnior aos 32min do segundo tempo.
Local: Estádio Barradão, em Salvador, Bahia.
Público: 34.111 pagantes
Renda: R$ 1.522.000
Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa/RS)
Auxiliares: Altemir Hausmann e Érico Bandeira
Cartões amarelos: Anderson, Wallace, Elkeson (VIT); Edu Dracena, Robinho, Rafael (SAN)
Santos: Rafael; Pará, Edu Dracena, Durval e Alex Sandro; Arouca, Wesley e Paulo Henrique Ganso; Neymar (Marcel), André (Marquinhos) e Robinho (Rodriguinho). Técnico: Dorival Júnior
Vitória: Viáfara; Nino (Gabriel), Wallace, Anderson Martins e Egídio; Neto Coruja, Bida (Adaílton) e Ramon (Renato); Elkeson, Júnior e Schwenck . Técnico: Ricardo Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *