Reis do Calcio

Published On 19/06/2017 | Jogos Históricos
Por Ronaldo Silva,
São Paulo, 19/06/2017

Esperada uma presença superior à 100 mil pessoas, dado o interesse do público italiano na grande decisão do Torneio Itália-61 entre Santos e Inter de Milão.
O Santos apresentava-se como grande favorito, em que pese o rival atuar diante de sua torcida. Depois de conquistar o Torneio de Paris, onde derrotou o campeão europeu, o Benfica (6×3), e em terras italianas venceu a Juventus (2×0) e a Roma (5×0). Mais do que essas vitórias, valeram as belas exibições da equipe, seu futebol fabuloso, ágil e de raro primor técnico, somado à exuberância de Pelé. Na França, o time foi considerado o Melhor do Mundo, condição confirmada na Itália.
A Internazionale, terceira colocada no último campeonato italiano, contava com uma das equipes mais fortes e com categoria no futebol europeu. Um adversário difícil que contava em sua equipe com alguns jogadores de classe internacional, uma defesa firme e possuía o meia espanhol Luis Suarez, recém comprado do Barcelona, que era um dos grandes nomes do futebol mundial à época. Para chegar à decisão, os milaneses venceram o Spartak de Praga (7×1) e empataram com os argentinos do River Plate (1×1), se beneficiando pelo gol average.

O JOGO
A Internazionale iniciou o confronto demonstrando grande poder de penetração e bom entendimento ofensivo, enquanto os santistas colocavam em prática um jogo rápido e calculado, baseado em passes curtos e deslocações imediatas. Os primeiros ataques foram do time de Milão que resultaram em arremates do perigoso Suarez. Aos 4 minutos, mandou uma bola rente à trave e, dois minutos depois, num chute de longa distância para segura intervenção de Laércio.
O Santos inaugurou o placar, aos 7 minutos, numa ducha fria sobre o time local. Balleri, ao conter os movimentos de Pelé, cometeu infração nas proximidades da área, o incumbido para a cobrança foi Pepe. A bola partiu com violência vencendo a barreira e bateu Da Pozzo no ângulo esquerdo, junto à base do poste. Um minuto depois, Pelé é derrubado na área e teve de permanecer 7 minutos fora de campo, para receber atendimento médico.
Aos 25 minutos, a Internazionale adquiriu novas esperanças depois de uma jogada bem tramada pelo seu ataque, iniciada por Suarez na direita e passe curto para Lindskog. O atacante sueco deixou a bola ao alcance do apoiador Bolchi que surpreendeu Laércio com um tiro forte e inapelável no alto das redes. Festa da torcida italiana e jogo empatado em 1 a 1.
O Santos, aos 35 minutos, voltou a obter vantagem no marcador. Pelé após uma finta em Guarnieri atirou da entrada da área. Da Pozzo rebateu a custo. Numa rápida entrada, Coutinho balançou as redes, embora acossado por dois defensores italianos. Pouco antes do término da etapa, a Internazionale atacou em massa e, depois de uma série de passes, Hitchens chutou a bola, que passou rente ao poste direito de Laércio. O grande público presente ao estádio San Siro não se cansou de animar sua equipe, mas apesar do incentivo o Santos demonstrava segurança em campo.
SEGUNDO TEMPO
Na volta para a etapa final, a Internazionale apresentou uma nova orientação tática, com a presença de Suarez adiantado junto à àrea santista. Os milaneses buscaram a todo custo alcançar o empate. Foi aí que se agigantou a defesa santista, com as antecipações de Mauro, a serenidade de Dalmo, a segurança de Laércio e a alta classe de Zito. Fundamentais em evitar que a Inter atingisse seu objetivo.
O ataque do Santos havia baixado sua produção porém, aos 17 minutos, em jogada no campo de defesa surgiu um contra ataque rápido com a defesa milanesa desarrumada. Coutinho partiu rápido para aproveitar passe de Pelé e sofreu falta por trás de Bolchi. Novamente Pepe executou a cobrança atirando forte em busca do canto direito. Bandoni tentou a defesa mas apenas tocou na bola que atingiu as redes após resvalar no travessão.
Aos 42 minutos, Pelé liquidou de vez as últimas esperanças locais. Numa jogada iniciada através de uma tabelinha entre Dorval e Pelé que, por fim, ingressou na área, aplicou uma finta de corpo em Masiero e apontou seco, à esquerda de Bandoni, indefensavelmente.
Vitória consagradora e que valeu outra conquista notável no cenário internacional, campeão do Torneio Itália 1961, marcando o Santos mais um belo capítulo de sua gloriosa história ao conquistar de forma invicta sobre grandes equipes italianas que arrebatou o público com belas jogadas e consistência para realçar o prestígio do time Santos como o maior esquadrão do futebol mundial.

Ficha Técnica:
24/06/1961 – Internazionale-ITA 1 x 4 Santos
Gols: Pepe aos 7min, Bolchi aos 26min e Coutinho aos 35min do primeiro tempo; Pepe aos 17min e Pelé aos 42min do segundo tempo
Local: Estádio San Siro, em Milão, Itália
Competição: Torneio Itália 1961
Público: 110.000
Árbitro: Gambarotta (ITA)
SFC: Laércio; Mauro e Décio Brito; Getúlio, Dalmo e Lima; Dorval, Mengálvio (Zito), Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
IFC: Da Pozzo (Bandini); Piccho e Masiero; Bolchi, Guarneri e Balleri; Bicicli, Lindskog, Hitchens, Suarez e Corso. Técnico: Helenio Herrera

Fontes e referências:
Almanaque do Santos FC;
Jornal “A Tribuna” de Santos;
Jornal “O Estado de São Paulo”;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *