Toninho Guerreiro – 1963-1969

Published On 26/06/2014 | Ex-Atletas, Ídolos
Por Gabriel Santana
Santos, 26/06/2014
Atualizado, 02/01/2016
Oportunista, raçudo, com excelente visão de jogo e bom nível técnico. Assim poderia ser definido o centroavante Antonio Ferreira, conhecido como Toninho Guerreiro.
Nascido no dia 10 de agosto de 1942, em Bauru, cidade do estado de São Paulo, Toninho começou carreira no Noroeste de Bauru, onde atuou no período de 1959-1962.
Foi contratado pelo Santos em 1963, para disputar uma vaga no ataque mágico do Santos, e aos poucos foi ganhando espaço na equipe de Vila Belmiro, tornando-se fundamental para o time.
Na briga pela artilharia da equipe, desbancou o Rei Pelé em algumas oportunidades.
Em 1966, foi o artilheiro do Campeonato Paulista com 16 gols, impedindo que Pelé completasse a décima temporada consecutiva como artilheiro do estadual. Também foi o artilheiro da Taça Brasil, com 10 gols, e o artilheiro santista na temporada, com 60 gols marcados.
Já em 1968, foi artilheiro do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, com 18 gols, e também o artilheiro anual santista, com 75 gols.
De 1957 a 1974, o Rei Pelé foi o artilheiro da temporada em 16 ocasiões, o único que “ousou” a ultrapassar Pelé, foi Toninho, com as artilharias de 1966 e 1968.
Era nome certo para a Copa de 1970, mas foi cortado por Zagallo. O médico da Seleção alegou que ele sofria de sinusite, para o preferido do presidente Emilio Garrastazu Médici, Dario, o Dadá Maravilha, fosse convocado.
Em 1969, acertou a sua ida para o São Paulo, e conseguiu um feito inédito: tornou-se pentacampeão paulista (tri pelo Santos, em 1967-1968-1969, e bi pelo São Paulo, em 1970-1971).
Com 31 anos, teve breve passagem pelo Flamengo, em 1973 e pelo Operário-MS em 1974. Encerrou a carreira ainda em 1974, pelo clube que o revelou, o Noroeste.
Com 279 gols, Toninho Guerreiro é o quarto maior artilheiro da história do Santos.
Morreu aos 47 anos, em São Paulo, no dia 26 de janeiro de 1990.
Jogos – 368
Gols – 279
Títulos pelo Santos:
1963 – Taça Libertadores da América, Mundial Interclubes, Taça Brasil e Torneio Rio-São Paulo
1964 – Campeonato Paulista, Taça Brasil e Torneio Rio-São Paulo
1965 – Campeonato Paulista e Taça Brasil
1966 – Torneio Rio-São Paulo
1967 – Campeonato Paulista
1968 – Campeonato Paulista, Torneio Roberto Gomes Pedrosa, Recopa Sul-Americana e Recopa Mundial
1969 – Campeonato Paulista
Fichas Técnicas:
16/02/1963 – Vasco 2 x 2 Santos
Gols: Ronaldo aos 38min do primeiro tempo; Sabará aos 12min, Pelé aos 41min e aos 42min do segundo tempo.
Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro.
Competição: Torneio Rio-São Paulo
Público: 29.200 aproximadamente
Renda: Cr$ 9.652.000,00
Árbitro: Stefan Walter Glanz
Vasco: Ita; Joel, Brito, Dario e Maranhão; Barbosinha (Fontana) e Sabará; Villadoniga, Saulzinho, Lorico (Fagundes) e Ronaldo. Técnico: Jorge Vieira
Santos: Gilmar; Dalmo, Mauro e Zé Carlos (Tite); Calvet e Lima; Dorval, Mengálvio, Pagão (Toninho), Pelé e Pepe. Técnico: Lula
– Estreia de Toninho Guerreiro.
28/07/1963 – Santos 5 x 2 Jabaquara
Gols: Toninho aos 35min do primeiro tempo; Cabrita aos 6min e aos 31min, Pelé aos 12min, Toninho aos 30min e aos 44min e Batista aos 41min do segundo tempo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Campeonato Paulista
Público: 8.800 aproximadamente
Renda: Cr$ 1.691.700,00
Árbitro: Romualdo Arpi Filho
Santos: Gilmar; Mauro e Geraldino; Dalmo, Lima e Olavo; Batista, Almir, Toninho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Jabaquara: Dudízio; Ivan, Del Pozo e Macedo; Rubens Sales e Carlão; Chilinho, Buzone, Cabrita, Neiva e Alcides. Técnico: Carlito Roberto
– Os três primeiros gols de Toninho com a camisa do Santos.
06/03/1964 – Colo-Colo-CHI 2 x 4 Santos
Gols: Valdez aos 3min, Rossi aos 11min, Alvarez aos 16min e Toninho aos 32min do primeiro tempo; Toninho aos 20min e aos 29min do segundo tempo.
Local: Estádio Nacional de Santiago, em Santiago, Chile.
Competição: Amistoso
Público: 68.374 pagantes
Árbitro: Jorge Trussão
Colo-Colo: Escutti; Sepúlveda, Navarro (Figueredo) e José Gonzalez; Cruz e Ortiz; Orellana (Bello), Gimenez, Valdez, Alvarez (Verdejo) e Roberto.
Santos: Gilmar; Ismael, Mauro, Haroldo (Joel Camargo) e Geraldino; Mengálvio (Lima) e Rossi (Almir); Peixinho, Toninho, Pelé e Pepe (Dorval). Técnico: Lula
– Mais um hat-trick de Toninho, agora diante do Colo-Colo.
01/12/1965 – Santos 5 x 1 Vasco
Gols: Dorval [2], Toninho [2] e Coutinho; Célio
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.
Competição: Taça Brasil
Público: 16.764
Renda: Cr$ 27.462.000,00
Árbitro: Romualdo Arpi Filho
Santos: Gilmar; Carlos Alberto, Mauro, Orlando e Geraldino; Lima e Mengálvio;
Dorval, Coutinho (Toninho), Pelé e Pepe. Técnico: Lula
Vasco: Gainete; Ari, Caxias, Ananias e Odair; Maranhão e Saulzinho; Zezinho,
Célio, Lorico (Luisinho) e Danilo Menezes. Técnico: Zezé Moreira
– No primeiro jogo da final da Taça Brasil de 1965, Toninho deixa a sua marca duas vezes.
05/10/1966 – Santos 6 x 2 Bragantino
Gols: Toninho aos 10min e aos 13min e Willsinho aos 34min do primeiro tempo; Carlos Alberto aos 3min, Toninho aos 12min, aos 19min e aos 43min e Carlos Alberto (c) aos 37min do segundo tempo.
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos.
Competição: Campeonato Paulista
Público: 3.907 pagantes
Árbitro: José Astolphi
Santos: Laércio; Carlos Alberto, Mauro e Geraldino; Zito e Oberdan; Dorval, Joel Camargo, Toninho, Coutinho e Edu. Técnico: Antoninho (Lula suspenso)
Bragantino: Odarci; Luisinho, Ivã, Luísão e Hamilton; Armando e Roberto; Faustino, Toninho, Dema e Wilsinho. Técnico: João Avelino
– Toninho marca 5 vezes e registra seu maior número de gols em uma só partida pelo Santos.
21/12/1967 – Santos 2 ×1 São Paulo
Gols: Edu aos 10min e Toninho aos 12min do primeiro tempo; Babá aos 43min do segundo tempo.
Local: Estádio Pacaembu, em São Paulo.
Competição: Campeonato Paulista (Jogo Extra)
Público: 43.627 pagantes
Renda: NCr$ 151.808,00
Árbitro: Armando Marques
Santos: Claúdio; Carlos Alberto Torres, Ramos Delgado, Joel Camargo e Rildo; Clodoaldo e Buglê; Wilson, Toninho, Pelé e Edu. Técnico: Antoninho
SPFC: Picasso; Renato, Belline, Roberto Dias e Edílson; Nenê e Lourival; Valter “Zum–Zum”, Dejair, Babá e Paraná. Técnico: Sílvio Pirillo
– Toninho marca o gol do título paulista de 1967,
18/08/1968 – Benfica-POR 2 x 4 Santos
Gols: Toninho Guerreiro aos 8min e aos 32min do primeiro tempo; Toninho aos 2min e 20min, Toni aos 3min e Calado aos 43min do segundo tempo.
Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires, Argentina.
Competição: Pentagonal de Buenos Aires
Renda: NCr$ 138.000,00
Árbitro: Aurelio Bozzolini
Santos: Gilmar (Cláudio); Carlos Alberto, Ramos Delgado, Oberdan e Rildo; Joel Camargo (Negreiros) e Lima; Amauri, Toninho, Pelé (Almiro) e Pepe. Técnico: Antoninho
Benfica: José Henrique; Jacinto, Humberto, Raul e Cruz; Jaime Graça (Toni) e Coluna; José Augusto, Torres, Eusébio (Calado) e Simões. Técnico: Oto Gloria
– 04 gols no Benfica de Eusébio e Companhia.
24/06/1969 – Internazionale de Milão-ITA 0 x 1 Santos
Gol: Toninho Guerreiro aos 11min do segundo tempo.
Local: Estádio San Siro, em Milão, Itália.
Público: 44.774 pagantes
Renda: estimada em 200 mil dólares (800 mil cruzeiros novos)
Árbitro: Ortiz de Mendíbil (Espanha)
Internazionale: Bordon; Burgnich, Guarnieri, Cella e Poli;
Bedin e Mazzola; Jair da Costa, Domenghini, Corso e Vastola. Técnico: Maino Neri
Santos: Cláudio (Laércio); Carlos Alberto, Ramos Delgado,
Djalma Dias e Rildo; Clodoaldo e Negreiros; Toninho, Edu, Pelé, Abel. Técnico: Antoninho
– No ultimo jogo de Toninho com a camisa do Santos, de “presente”, ele marca o gol do título da Recopa Mundial!
Fontes e Referências:
Centro de Memória e Estatística do Santos;
Almanaque do Santos;
Livro “100 anos, 100 jogos e 100 ídolos”;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *