Virada Santástica!

Published On 14/11/2014 | 10 anos do Octacampeonato!
Seguindo a trajetória dos últimos oito jogos finais e decisivos do Santos, em comemoração aos 10 anos do Campeonato Brasileiro de 2004, vamos à Presidente Prudente, onde o Santos mandava mais um de seus jogos fora de seu domínio! No jogo anterior, o empate em Santa Catarina, marcou o 1º jogo sem Robinho, devido ao sequestro de sua mãe.
“Sem Robinho e Ricardinho, o Santos vira na raça e vence o Goiás em Presidente Prudente”
O Santos enfrentou alguns problemas antes e durante o jogo contra o Goiás. Sem Ricardinho (suspenso), Robinho (com problemas pessoais) e Elano em campo por apenas 25 minutos, o desenhar da partida não era bom e favorável para um clube que precisava vencer a todo custo, para manter-se na briga pelo título. Com as ausências importantes de jogadores, o Santos teve muitos problemas de finalizações, em todo o jogo apenas três finalizações precisas. Os problemas aumentariam ainda mais, com o primeiro gol marcado pelo Goiás, aos 8 minutos de jogo. Ao Santos cabia a reação, reverter todos os problemas e o resultado para se manter na briga pelo título do Campeonato Brasileiro de 2004.
O Goiás desde o inicio mostrou sua proposta de jogo, jogar nos contra-ataques. Assim surgiu a jogada do primeiro gol Esmeraldino. Josué foi lançado e invadiu a área com velocidade. Atrasado no lance, Andre Luis derrubou o jogador dentro da área, Pênalti! Que Paulo Baier cobrou e converteu abrindo o placar para o Goiás. Abalado com a desvantagem no placar, o time do Santos acua o adversário em seu campo de defesa após o gol sofrido. Entretanto com mais empolgação que organização, não conseguiu criar chances reais de gols até os 20 minutos, quando ainda em campo, o meia Elano se infiltra dentro da área, e conclui por cima do gol, o meio campista acabou saindo cinco minutos mais tarde, contundido do jogo, dando lugar a Marcinho, deixando o improvisado Paulo César (Lateral de origem) encarregado de criar as jogadas no meio de campo.
Apesar da pressão estabelecida pelo Santos no decorrer do jogo, com Andre Luis quase empatando de cabeça em um lance perigoso. O Goiás usava com inteligência os contragolpes , pelo lado direito o time conseguiu duas boas finalizações mais sem muito sucesso. O jogo começou a mudar  quando o zagueiro Renato, que já tinha cartão amarelo, devido a impedir a cobrança de falta do Santos, derrubou Deivid de maneira brusca e foi expulso do jogo. Para repor a defesa, Celso Roth (técnico do Goiás), saca o atacante Leandro e coloca Cléber. Assim, sem necessidade de três zagueiros no jogo, para marcar apenas um atacante, Luxemburgo (técnico do Santos) responde tirando o zagueiro Andre Luis e colocando o atacante William. Como era de se esperar, o Santos parte para o ataque, o jogo passa a ficar todo no campo de ataque santista, que apesar da insistência foi para o intervalo em desvantagem, resentido da desorganização do setor ofensivo.
O Santos precisava voltar para o segundo tempo de jogo e mostrar o porquê de sua alcunha “Time da Virada”. Após voltar do intervalo o técnico Luxemburgo afirma que o Santos precisa explorar mais as laterais e manter a bola no campo de ataque. Mais as jogadas continuaram sem surtir efeito, fazendo Luxemburgo colocar Luis Augusto no lugar de Flávio, na metade do segundo tempo.  O Santos não estava inspirado em seus ataques, e não construía boas jogadas ofensivas, restava aos jogadores explorar as bolas paradas. E foi numa dessas jogadas, que começou a reação santista. Aos 39 minutos, depois de rebatida numa cobrança de escanteio, Basílio iguala o placar para o Santos. O empate animou o time, que enfim, conseguiu concluir com precisão e fazer o gol que precisava. O Time da Virada foi pra cima, e aos quatro minutos do fim do jogo, Marcinho foi lançado na direita e cruzou para William. Livre de marcação na pequena área, o atacante marcou de cabeça seu primeiro gol naquele brasileiro, decretando a virada do Santos.
Os Santistas viram a vitória como a arrancada para o conquista do Campeonato Brasileiro de 2004. A forma que se conduziu a partida, e os problemas enfrentados pelo clube antes mesmo da bola rolar, a virada no fim do jogo, mostra que o clube está focado e preparado para buscar o título. O Santos  agora enfrenta o Coritiba no Sul, domingo.
FICHA TÉCNICA
14/11/2004 – Santos 2 x 1 Goiás
Gols: Paulo Baier aos 10min do primeiro tempo; Basílio aos 39min e William aos 40min do segundo tempo.
Local: Estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente, São Paulo.
Público: 5.041 pagantes
Renda: R$ 64.800,00
Árbitro: Luís Antonio Silva Santos (RJ)
Auxiliares: Carlos Henrique A. de Lima (RJ) e João Luís R. Magalhães (RJ)
Cartões amarelos: Josué (G), Renato (G), Leonardo (S), Danilo (G), Cléber (G)
Cartão vermelho: Renato (G)
Santos: Mauro; Leonardo, Ávalos e André Luís (William); Paulo César, Fabinho, Elano (Marcinho), Flávio (Luís Augusto) e Léo; Basílio e Deivid. Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Goiás: Harley; André Dias, Renato e Asprilla; Paulo Baier (Tiago), Danilo Portugal, Josué, Rodrigo Tabata e Jadílson; Alex Dias (Douglas) e Leandro (Cléber). Técnico: Celso Roth
– Referências: 
Jornal “O Estado de São Paulo”
Jornal “Folha de São Paulo”
Jornal “A Tribuna”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *