Vitória sobre uma das bases da Seleção Brasileira!

Published On 16/09/2015 | Jogos Históricos
No fim da década de 70 e começo da década de 80, o Atlético-MG tinha um grande time, e era a base da Seleção Brasileira. Muitos dizem, que essa equipe foi a melhor da história do clube mineiro.
A equipe já tinha as seguintes conquistas: Hexacampeão Mineiro (1978, 1979, 1980, 1981, 1982 e 1983), Vice-Campeão Brasileiro (1980), Campeão do Torneio de Paris (1982), Campeão do Torneio de Bilbao (1982) e Campeão do Torneio de Berna (1983).
Entre os atletas, podemos destacar: João Leite, Nelinho, Toninho Cerezo, Paulo Isidoro, Palhinha, Reinaldo, Dario e Éder.
Porém, faltou um título a esse equipe: O de Campeão Brasileiro.
Em 1983, o time santista enfrentou o Atlético-MG pelas semifinais do Campeonato Brasileiro, e não se incomodou com o grande esquadrão atleticano, até porque, o Alvinegro também contava com grandes nomes em seu elenco.
A VITÓRIA NO MORUMBI
A partida começou bem movimentada, com chances claras para as duas equipes. O Santos criou pelo menos três oportunidades de gol. Em uma delas, o goleiro João Leite evitou a abertura do placar, saindo a frente de Serginho Chulapa.
Logo depois, aos 15 minutos, foi a vez dos atleticanos quase marcarem, com o centroavante Reinaldo. Foi a vez de Márcio Rossini evitar o primeiro tento, com uma grande intervenção.
O confronto continuou muito igual, e qualquer um das duas equipes poderiam abrir o marcador.
Aos 45 minutos, em grande jogada de Pita, o zagueiro Luisinho colocou a mão na bola, como um último recurso para evitar o gol. O camisa 10 santista já estava dentro da área, e já havia driblado o goleiro João Leite, portanto, pênalti para o Santos.
Com grande categoria, o camisa 9 do Alvinegro não titubeou, e mandou a bola pro fundo da rede. Foi o 20º gol de Serginho Chulapa no Campeonato Brasileiro.
No segundo tempo, o jogo continuou vibrante, com grande ímpeto por parte das duas equipes.
O Santos levava ligeira vantagem no meio-de-campo, devido a grande atuação do trio Pita, Paulo Isidoro e Dema. Aos 11 minutos, o time santista chegou ao segundo gol, com Paulo Isidoro, porém, a arbitragem erroneamente anulou o segundo tento do Alvinegro.
Na sequencia, aos 13 minutos, o Atlético-MG chegou ao empate, com um belo gol de Éder.
O ritmo de partida continuou o mesmo, com o Santos ainda levando vantagem no meio-de-campo. Aos 24 minutos, Serginho recebeu belo lançamento, e tocou na saída de João Leite, para colocar novamente o time santista na frente.
Antes do término, o Atlético-MG teve três grandes oportunidades, que foram defendidas pelo goleiro Marola, se transformando em um grande personagem nos minutos finais de jogo.
A CLASSIFICAÇÃO PARA A FINAL
Com a vitória no primeiro jogo, o Santos levou uma pequena vantagem para a segunda partida, podendo até empatar que se classificaria para a grande final.

1983- Santos x Atletico 2

Com o regulamento embaixo dos braços, o time santista jogou pelo empate, e segurou a equipe atleticana.
Reinaldo e Éder colocaram Marola para trabalhar, e com ótimas defesas, o goleiro santista se sobressaiu na partida, e ganhou o duelo particular contra os atacantes.
Na segunda etapa, Reinaldo foi expulso, e o Alvinegro de Vila Belmiro conseguiu tranquilizar a partida, assegurando a vaga para a grande decisão.
Fichas Técnicas:
12/05/1983 – Santos 2 x 1 Atlético-MG
Gols: Serginho (p) aos 45min do primeiro tempo; Éder aos 13min e Serginho aos 24min do segundo tempo.
Local: Estádio Morumbi, em São Paulo.
Público: 64.446 pagantes
Renda: Cr$ 65.048.800,00
Árbitro: Manoel Serapião
Santos: Marola; Toninho Oliveira, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Gilberto; Dema, Paulo Isidoro e Pita; Camargo (Lino), Serginho e João Paulo. Técnico: Chico Formiga
Atlético-MG: João Leite; Nelinho, Fred, Luisinho e Jorge Valença; Heleno, Renato e Marcus Vinícius (Marcelo); Catatau (Mirandinha), Reinaldo e Éder. Técnico: Paulinho de Almeida
15/05/1983 – Atlético-MG 0 x 0 Santos
Local: Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, Minas Gerais.
Público: 113.749 pagantes
Renda: Cr$ 78.575.600,00
Árbitro: Luís Carlos Félix
Cartão vermelho: Reinaldo
Atlético-MG: João Leite; Nelinho, Fred, Luisinho e Jorge Valença; Heleno, Renato e Marcus Vinicius (Marcelo); Tita, Reinaldo e Éder. Técnico: Paulinho de Almeida
Santos: Marola; Toninho Oliveira, Márcio Rossini (Joãozinho), Toninho Carlos e Gilberto; Dema (Lino), Paulo Isidoro e Pita; Camargo, Serginho Chulapa e João Paulo. Técnico: Chico Formiga
Fontes e Biografias:
Almanaque do Santos, de Guilherme Nascimento;
Jornal o “Estado de São Paulo”;
Jornal “Folha de São Paulo;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *